Hélio Oiticica - Inhotim

Seja

Amigo

Hélio Oiticica

Rio de Janeiro, Brasil, 1937 – Rio de Janeiro, 1980

Invenção da cor, Penetrável Magic Square #5, De Luxe, 1977 de Helio Oiticica. Acervo de arte contemporânea Inhotim
Hélio Oiticica, Invenção da cor, Penetrável Magic Square #5, De Luxe, 1977, [detalhe], pintura sobre paredes de alvenaria, cobertura de metal e vidro, alambrado, seixo rolado, 15x15x4,5 m. Foto: Rossana Magri
Cosmocaca/CC5 Hendrix-war, 1973 de Helio Oiticica e Neville D’Almeida. Acervo de arte contemporânea Inhotim
Hélio Oiticica e Neville D’Almeida, Cosmocaca/CC5 Hendrix-war, 1973, 5 projetores, slides, redes, trilha sonora (Jimi Hendrix) e equipamento de áudio, dimensões variáveis. Foto: Eugenio Sávio

A partir de 1954, Hélio Oiticica iniciou seus estudos no MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde foi aluno do artista Ivan Serpa, que o introduziu à abstração geométrica. Um dos principais legados de Oiticica foi a sua participação no movimento Neoconcreto (1959), que redefiniu a relação entre a arte e o espectador. Em 26 anos de produção, o artista construiu trabalhos que incorporam a participação do público e invadem o espaço (primeiro os espaços expositivos e depois os públicos). O interesse pela cor foi um fio condutor desse percurso. Entre suas exposições mais importantes estão Whitechapel Experience na Galeria Whitechapel, em Londres (Inglaterra, 1969), e no MoMA – Museum of Modern Art, em Nova York (EUA, 1970). Recentemente, o MASP – Museu de Arte São Paulo e o MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro apresentaram mostras retrospectivas de seu trabalho.

Hoje

Filtros