• EN
  • Arte Contemporânea

    O Instituto Inhotim abriga um complexo museológico com uma série de pavilhões e galerias com obras de arte e esculturas expostas ao ar livre. O surgimento do Inhotim no cenário das instituições culturais brasileiras tem como marca, desde o início, a missão de criar um acervo artístico e de definir estratégias museológicas que possibilitem o acesso da comunidade aos bens culturais. Nesse sentido, trata-se de aproximar o público de um relevante conjunto de obras, produzidas por artistas de diferentes partes do mundo, refletindo de forma atual sobre as questões da contemporaneidade.

    Inhotim é a única instituição brasileira que exibe continuamente um acervo de excelência internacional de arte contemporânea.

    Graças a uma série de contextos específicos, Inhotim oferece um novo modelo distante daquele dos museus urbanos. A experiência do Inhotim está em grande parte associada ao desenvolvimento de uma relação espacial entre arte e natureza, que possibilita aos artistas criarem e exibirem suas obras em condições únicas. O espectador é convidado a percorrer jardins, paisagens de florestas e ambientes rurais, perdendo-se entre lagos, trilhas, montanhas e vales, estabelecendo uma vivência ativa do espaço.

    Novos projetos são inaugurados periodicamente, incluindo obras criadas site-specific para o local e recortes monográficos e temáticos do acervo, fazendo do Inhotim um lugar em contínua transformação.

    escolha o artista escolha o ano da abertura escolha a década da obra escolha o título da obra escolha a galeria escolha o ano de exposição
    A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
    1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010
    carregando dados...
    xxx

    Waltércio Caldas

    Escultura para todos os materiais não transparentes, 1985

    Rio de Janeiro, 1946; vive no Rio de Janeiro Escultura para todos os materiais não transparentes, 1985 mármore e madeira

    Cildo Meireles

    Inserções em circuitos ideológicos: Projeto cédula, 1970

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    Sandra Cinto

    Retábulo, 1995

    Santo André, São Paulo, 1968; vive em São Paulo Retábulo, 1995 óleo sobre madeira

    Babette Mangolte

    Yvonne with tape, 1972

    Babette Mangolte é uma artista visual, pensadora, cineasta e fotógrafa nascida na França e baseada nos Estados Unidos há mais de 40 anos.

    Jorge Macchi

    10:51, 2009

    As relações paradoxais entre tempo e espaço povoam a obra de Jorge Macchi – um artista que lida com a herança literária de seu país e a leva adiante.

    Tunga

    A Bela e a Fera, 2001

    Marepe

    A bica, 1999

    A bica (1999) coloca em diálogo, de maneira exemplar, as duas tradições que informam a obra de Marepe: a história da arte do século 20 e as práticas populares de seu contexto de origem, o Recôncavo Baiano, região onde nasceu e vive.

    Jonathan Monk

    A cube by Sol Lewitt photographed by Carol Huebner using nine different light sources and all their combinations front to back back to front forever, 2001

    Obras de artistas-ícone dos anos 1960 e 1970 constituem as principais fontes do trabalho de Jonathan Monk em filmes, fotografias, instalações, esculturas e performances que apropriam e citam procedimentos clássicos da arte pop, minimalista e conceitual.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    A Grande Bebedeira, 2009

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Marepe

    A mudança, 2005

    A mudança (2005) pertence às obras de Marepe que se referem à esfera do doméstico e da intimidade, entre as quais estão esculturas que ele criou a partir de trouxas de roupas, móveis e casas.

    Marilá Dardot

    A Origem da Obra de Arte, 2002

    A origem da obra de arte (2002) é uma instalação seminal na obra de Marilá Dardot. Apresentada originalmente em sua primeira exposição individual, no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte

    Sandra Cinto

    A Ponte Impossível, 1998

    Santo André, São Paulo, 1968; vive em São Paulo A Ponte Impossível, 1998 pintura automotiva sobre madeira e MDF

    John Ahearn / Rigoberto Torres

    Abre a Porta, 2006

    Os murais escultóricos de John Ahearn são muito mais do que simples esculturas realistas: são desafios à própria natureza da representação, de quem representa quem.

    Anri Sala

    Agassi, 2006

    Ao longo da última década, Anri Sala emergiu como uma das mais importantes vozes na pesquisa em torno do filme e do vídeo.

    Carlos Garaicoa

    Ahora juguemos a desaparecer (II), 2002

    O trabalho de Carlos Garaicoa exibido neste espaço pertence a uma linhagem de trabalhos surgidos desde os anos 1960, que se interessam pela crítica à arquitetura e se baseiam em obras processuais das quais artistas como Gordon Matta-Clark (1943-1978) e Hélio Oiticica (1937-1980) são importantes protagonistas.

    Anri Sala

    Air-Cushioned, 2006

    ‘Alguns lugares não guardam edifícios ou datas a serem lembrados, mas produzem sua própria trilha sonora’. Com essas palavras, retiradas de suas anotações, Anri Sala descreve a ambientação de Air-Cushioned Ride (2006).

    Alexandre da Cunha

    Amateur, 2007

    A disposição das obras de Alexandre da Cunha na primeira sala da Galeria Fonte evoca uma natureza-morta, repetindo assim o próprio tema da exposição que ela inicia.

    Luiz Zerbini

    amor lugar comum, 2013

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    Analogia de Tarciso, 2009

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Tunga

    Ão, 1980

    Palmares, Pernambuco, 1952; vive no Rio de Janeiro Ão, 1980 projeção de filme P&B 16 mm em looping e instalação de som, dimensões variáveis

    Cerith Wyn Evans

    Aqui tudo parece que ainda é construção e já é ruína, A partir de Fora da Ordem, de Caetano Veloso, 2004

    Llanelli, País de Gales, 1958; vive em Londres Aqui tudo parece que ainda é construção e já é ruína, A partir de Fora da Ordem, de Caetano Veloso, 2004 estrutura de madeira, fogos de artifício e fotografia c-print

    Luiz Zerbini

    Ar, 2002

    O artista se dedicar a uma prática pictórica experimental e profunda que transcende tendências e modas, com a produção de um conjunto de obras significativo.

    Miguel Rio Branco

    Arco do Triunfo, 2004

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    José Damasceno

    Árvore Inconsciente, 1999

    Rio de Janeiro, 1968; vive no Rio de Janeiro Árvore Inconsciente, 1999-2000 instalação em plástico e estopa

    Sandra Cinto

    As Belas Relações II, 2000

    Santo André, São Paulo, 1968; vive em São Paulo As Belas Relações II, 2000 vidro soprado e ponta seca sobre madeira e MDF pintados

    Edgard de Souza

    Átomos, 2004

    Desde o final dos anos 80, Edgard de Souza vem construindo um conjunto de obras marcado por uma qualidade artesanal e um ritmo lento de produção que se destaca da escultura contemporânea de grande escala.

    Cildo Meireles

    Através, 1983

    Por meio de jogos formais com materiais cotidianos, o artista lida com questões mais amplas, como a nossa maneira de perceber o espaço e, em última análise, o mundo.

    Babette Mangolte

    Babette Mangolte, 2013

    A exposição é a primeira apresentação da artista no Brasil e reúne obras realizadas nas últimas quatro décadas, num verdadeiro mergulho no seu universo e pensamento.

    Miguel Rio Branco

    Barroco, 1998

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    Chris Burden

    Beam drop Inhotim, 2008

    Beam drop Inhotim [título que poderia ser traduzido livremente por "queda de viga"] é a recriação de uma obra realizada originalmente em 1984 no Art Park, um parque de esculturas no Estado de Nova York, e destruída três anos depois.

    Chris Burden

    Beehive bunker, 2006

    Beehive bunker (2006) é uma escultura que simula uma estrutura bélica de defesa, construída de maneira gradativa e sem o auxílio de máquinas.

    Miguel Rio Branco

    Berlin, 2001

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Berlin, 2001 cibachrome photograph

    Dan Graham

    Bisected triangle, Interior curve, 2002

    Bisected triangle, Interior curve, 2002 vidro espelhado e aço inoxidável

    Miguel Rio Branco

    Blue Tango, 1984

    Neste pavimento da galeria Miguel Rio Branco estão reunidas 34 imagens de um de seus mais importantes e seminais trabalhos: as fotografias realizadas no bairro do Maciel, no Pelourinho, em Salvador.

    Miguel Rio Branco

    Blue Vibes (ou Blue Vibration), 2001

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Blue Vibes (ou Blue Vibration), 2001 fotografia, (políptico de 9)

    Paul McCarthy

    Boxhead, 2001

    Salt Lake City, Estados Unidos, 1945; vive em Los Angeles Boxhead, 2001 bronze

    Alessandro Pessoli

    Bruciatore, 2007

    As obras de Alessandro Pessoli mesclam referências pessoais com acontecimentos históricos, num procedimento que aproxima grandes narrativas a fatos íntimos e autobiográficos.

    Rubens Mano

    Bueiro, da Série Huecos, 1999

    São Paulo, 1960; vive em São Paulo Bueiro, da Série Huecos, 1999 intervenção/fotografia

    Juan Araujo

    Burle Marx MEC, 2007

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Olafur Eliasson

    By Means of a Sudden Intuitive Realization, 1967

    Eliasson é hoje um dos artistas com maior visibilidade internacional. Suas instalações em grande escala promovem uma recriação artificial de fenômenos naturais.

    Marepe

    Cabra, 2007

    Ao apropriar-se de objetos e elementos do cotidiano, convertendo-os em obras de arte, num gesto que remete a Marcel Duchamp, Marepe situa conceitualmente seu trabalho entre o utilitário e o poético.

    Artur Barrio

    Caderno-Livro Fortaleza-Lisboa, 1998

    Artur Barrio se tornou famoso por suas obras realizadas nos anos 1960 e 1970, nas quais intervinha no espaço da cidade com sangue, ossos, pães e papel higiênico, reagindo ao ambiente repressivo e violento da ditadura militar no Brasil e às condições materiais de desigualdade do Terceiro Mundo.

    Alessandro Pessoli

    Caligola, 2002

    As obras de Alessandro Pessoli mesclam referências pessoais com acontecimentos históricos, num procedimento que aproxima grandes narrativas a fatos íntimos e autobiográficos.

    Cildo Meireles

    Camelô, 1998

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    Adriana Varejão

    Carnívoras, 2008

    O políptico toma como referência as pinturas de azulejo de figuras avulsas. Ao contrário dos grandes painéis, que na azulejaria tradicionalmente narram acontecimentos históricos

    Rosângela Rennó

    Cartologia, 2000

    Cartologia, 2000 álbum de fotografias, mesa império e cinco fotografias em cor, laminadas e emolduradas

    Juan Araujo

    Casa de Baile, 2013

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Juan Araujo

    Casa do Baile, 2013

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Rubens Mano

    Casa verde, 1997

    São Paulo, 1960; vive em São Paulo Casa verde, 1997 instalação/fotografia

    Adriana Varejão

    Celacanto Provoca Maremoto, 2004

    A obra de Adriana Varejão promove uma articulação entre pintura, escultura e arquitetura, revisitando elementos e referências históricos e culturais.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    Chave, 2006

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Jarbas Lopes

    Cicloviaérea, 2003

    A produção de Jarbas Lopes inclui escultura, desenho, instalação e performance, e também projetos de cunho conceitual, nos quais o artista trabalha antes o imaginário de uma proposição do que sua realização propriamente dita.

    Cerith Wyn Evans

    Cleave 02 (The accursed share), 2002

    Llanelli, País de Gales, 1958; vive em Londres Cleave 02 (The accursed share), 2002 globo de espelho, lâmpada, computador, obturador e texto de Georges Bataille, Dimensões variáveis

    Sara Ramo

    Como aprender o que acontece na normalidade das coisas, 2002

    A série de fotografias da artista Sara Ramo apresenta uma sequência de banheiros domésticos, com seus utensílios e apetrechos. As imagens são resultado de um exercício de tipologização deste ambiente, banal e íntimo, ao mesmo tempo em que revelam possibilidades misteriosas sobre tudo o que se passa desapercebidamente.

    Cinthia Marcelle

    Confronto (da série Unus Mundus), 2005

    Desde o início dos anos 2000, Cinthia Marcelle tem construído sua obra com o uso de uma grande variedade de mídias: da instalação ao desenho, do vídeo à performance.

    Rivane Neuenschwander

    Continente/Nuvem, 2008

    Continente/Nuvem (2008) é uma obra cinética que ocupa totalmente o teto da casa. A obra consiste em pequenas bolas de isopor que se movem aleatoriamente sobre um forro transparente, ativadas por circuladores de ar.

    Rivane Neuenschwander

    Conversations, 2002

    Em Conversations [Conversações, 2002], tal qual sublinhado pelo próprio título, Rivane Neuenschwander reúne imagens como se estas fossem o resultado de horas a fio de conversa, e como se o diálogo invariavelmente levasse a um outro lugar.

    Iran do Espírito Santo

    Copo d'água, 2006

    Embora trabalhe insistentemente com o vocabulário geométrico, Espírito Santo está interessado, sobretudo, na representação.

    Ernesto Neto

    Copulônia, 1989

    Copulônia (1989) é uma obra seminal na trajetória de Ernesto Neto. A partir de sua realização, o artista mapeou interesses que viriam a definir não apenas a sua obra futura, mas também sua contribuição para a jovem história da arte contemporânea

    Iran do Espírito Santo

    Correções A, 2001

    Na obra, há uma intensa relação entre o legado clássico da arte e a contemporaneidade, sendo que Iran do Espírito Santo aproxima sua prática à do desenho industrial, da arquitetura e da decoração, permutando os valores destas disciplinas com aqueles da arte.

    Hélio Oiticica / Neville D’Almeida

    Cosmococa 5 Hendrix War, 1973

    À época em que residiu em Nova York, no início dos anos 1970, Hélio Oiticica trabalhou em parceria com o cineasta Neville D’Almeida na criação de instalações pioneiras chamadas de “quasi-cinemas”.

    Tacita Dean

    Day for night, 2009

    Centrada na prática de uma arqueologia de lugares e vivências, e com trabalhos realizados em diferentes suportes como o desenho, o filme e a fotografia, a obra de Tacita Dean explora as relações entre diferentes meios artísticos para construir metáforas que registram a passagem do tempo.

    Matthew Barney

    De Lama Lâmina, 2004

    A instalação De lama lâmina (2009) é o último desdobramento de um projeto que teve origem numa performance realizada em parceria com o músico Arto Lindsay, durante o carnaval de Salvador, em 2004, e que também serviu de base para o vídeo homônimo apresentado em Inhotim na galeria Marcenaria.

    Tunga

    Deleite, 1999

    Palmares, Pernambuco, 1952; vive no Rio de Janeiro Deleite, 1999 ferro e couro

    Mauro Restiffe

    Derivado #2 (Depois de Vermeer, 1998), 2000

    A instalação propõe uma investigação dos espaços real e fotográfico, colocando em jogo temas e elementos importantes para ambos: paredes e molduras, frente e verso, interior e exterior.

    Dominique Gonzalez-Foerster

    Desert Park, 2010

    Dominique Gonzalez-Foerster desenvolveu um novo ambiente externo que consiste numa pequena coleção de pontos de ônibus de concreto, em tamanho real, pré-fabricados localmente, espalhados um campo de areia branca de deserto próximo à floresta tropical.

    Cildo Meireles

    Desvio para o vermelho: Impregnação, Entorno, Desvio, 1967

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    Miguel Rio Branco

    Diálogos com Amaú, 1983

    Diálogos com Amaú (1983) é uma das primeiras incursões do artista com instalação audiovisual, apresentada pela primeira vez na XVII Bienal de São Paulo.

    Juan Araujo

    Diamantina, 2013

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Rubens Mano

    Disponha, 2001

    São Paulo, 1960; vive em São Paulo Disponha, 2001 fotografia montada em metacrilato, díptico

    Diango Hernández

    Drawing (As a drop I am going out of my home), 2006

    Drawing (As a drop I am going out of my home), 2006 móveis, objetos e cano de metal, dimensões variáveis

    Luiz Zerbini

    Drops, 2004

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Alexandre da Cunha

    Ebony Terracotta, 2002

    A disposição das obras de Alexandre da Cunha na primeira sala da Galeria Fonte evoca uma natureza-morta, repetindo assim o próprio tema da exposição que ela inicia.

    Babette Mangolte

    Edward Krasinski´s Studio, 2012

    Durante mais de 30 anos, o artista polonês Edward Krasinski (1925—2004) viveu e trabalhou em um ateliê no centro de Varsóvia, localizado num bloco de habitação típico dos anos do regime socialista.

    Mateo López

    El Palacio de Papel, 2010

    Embora o desenho ocupe papel protagonista no trabalho de Mateo López, ele dificilmente se reduz a um meio em si.

    Giuseppe Penone

    Elevazione, 2000

    Giuseppe Penone é um dos principais expoentes do grupo de artistas italianos que se destacou a partir do final dos anos 1960, reunidos sob o rótulo de arte povera.

    Marepe

    Embutido, 1999

    Santo Antônio de Jesus, Bahia, 1970; vive em Santo Antônio de Jesus Embutido, 1999 madeira materiais diversos

    Mauro Restiffe

    Empossamento, 2003

    São José do Rio Pardo, São Paulo, 1970; vive em São Paulo e Nova York Empossamento #2, #3, #4, #8, 2003 fotografia

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    Ensaio para uma escultura líquida, 2006

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Sara Ramo

    Entre a chuva e o boneco de neve, 2005

    No vídeo Entre a Chuva e o Boneco de Neve (2005), linhas desenhadas sobre o chão e a parede configuram uma quadra de esporte ou um tabuleiro.

    Miguel Rio Branco

    Entre os olhos o deserto, 1997

    Entre os olhos o deserto (1997) é uma instalação feita com três projeções nas quais mais de 400 imagens se sucedem.

    Alexandre da Cunha

    Esmeraldina, 2004

    A disposição das obras de Alexandre da Cunha na primeira sala da Galeria Fonte evoca uma natureza-morta, repetindo assim o próprio tema da exposição que ela inicia.

    Geraldo de Barros

    Estudos, 1980

    Geraldo de Barros foi um dos mais ativos artistas da vanguarda brasileira nos anos 1940 e 1950 e pertenceu ao primeiro grupo concretista de São Paulo, Ruptura, que promoveu a arte concreta no Brasil a partir de 1952.

    Franz Ackermann

    Faceland II (You better keep the light on), 2002

    Franz Ackermann é um eterno viajante, que reflete sobre a globalização e o crescimento incessante dos centros urbanos.

    Renata Lucas

    Falha, 2003

    Nesta sala da Galeria Mata um chão de compensado de madeira cobre o original de cimento. Ao articular as placas com dobradiças e equipá-las com puxadores, Renata Lucas faz deste elemento arquitetônico um protagonista.

    Alessandro Pessoli

    Finito, 2004

    As obras de Alessandro Pessoli mesclam referências pessoais com acontecimentos históricos, num procedimento que aproxima grandes narrativas a fatos íntimos e autobiográficos.

    Valeska Soares

    Folly, 2005

    Na instalação Folly (2005-2009), Valeska Soares cria um mundo à parte e mágico, com traços de fantasia.

    Cinthia Marcelle

    Fonte 193, 2007

    Um caminhão de combate ao incêndio dirije, ininterruptamente, em círculos com a mangueira apontada para o centro dessa trajetória.

    Janet Cardiff

    Forty part motet, 2001

    Thomas Tallis, compositor inglês do século 16, compôs Spem in Alium nunquam habui para a comemoração do aniversário da Rainha Elizabeth 1ª, em 1575.

    Miguel Rio Branco

    Fotos série Maciel, 1979

    Neste pavimento da galeria Miguel Rio Branco estão reunidas 34 imagens de um de seus mais importantes e seminais trabalhos: as fotografias realizadas no bairro do Maciel, no Pelourinho, em Salvador.

    Lothar Baumgarten

    Fragmento Brasil, 1977

    As relações entre natureza e cultura figuram como um dos principais interesses da obra de Lothar Baumgarten.

    Jorge Macchi

    Fuegos de Artifício, 2002

    Situações e objetos extraídos do cotidiano são matérias-primas para a obra de Jorge Macchi, um artista que vem expondo seus desenhos, colagens, instalações e vídeos internacionalmente desde o início dos anos 1990.

    Adriana Varejão

    Galeria Adriana Varejão, 2008

    No pavilhão de Inhotim, a obra da artista pode ser vista de maneira única. Tanto o percurso das obras quanto o partido da arquitetura foram desenvolvidos em próximo diálogo entre Varejão e o arquiteto Rodrigo Cerviño Lopez.

    Cildo Meireles

    Galeria Cildo Meireles, 2006

    Seu trabalho pioneiro no campo da arte da instalação prima pela diversidade de suportes, técnicas e materiais, apontando quase sempre para questões mais amplas, de natureza política e social.

    Hélio Oiticica / Neville D’Almeida

    Galeria Cosmococa, 1973

    À época em que residiu em Nova York, no início dos anos 1970, Hélio Oiticica trabalhou em parceria com o cineasta Neville D’Almeida na criação de instalações pioneiras chamadas de “quasi-cinemas”.

    Doris Salcedo

    Galeria Doris Salcedo, 2008

    Bogotá, Colômbia, 1958; vive em Bogotá Neither, 2004 placas de gesso e aço

    Lygia Pape

    Galeria Lygia Pape, 2012

    No Rio de Janeiro, onde construiu sua trajetória, Pape integrou os grupos Frente e Neoconcreto, participando ativamente da renovação que marcou a arte brasileira naquele período.

    Victor Grippo

    Galeria Marcenaria, 2008

    Victor Grippo ocupa lugar de destaque na produção artística das últimas décadas, sendo um dos principais nomes do grupo ligado à arte conceitual na Argentina.

    Miguel Rio Branco

    Galeria Miguel Rio Branco, 2010

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    Tunga

    Galeria Psicoativa Tunga, 2012

    Palmares, Pernambuco, 1952; vive no Rio de Janeiro Lezart, 1989 Cooking Crystals Expanded, 2009 Nociferatu, 2001 – 2011 Palíndromo incesto, 1990 – 1992 Ao, 1980 A Luz dos Dois Mundos,

    Tunga

    Galeria True Rouge, 2006

    Desde meados dos anos 1970, Tunga cria obras de um imaginário exuberante em desenho, escultura, instalação, filme, vídeo e performance.

    George Bures Miller / Janet Cardiff

    Galpão Cardiff & Miller, 2009

    Cardiff e Bures Miller estão na vanguarda de uma geração de artistas que emprega tecnologia de ponta em suas obras.

    Amílcar de Castro

    Gigante Dobrada, 2001

    Paraisópolis, Minas Gerais, 1920 – Belo Horizonte, 2002 Gigante Dobrada, 2001 aço

    Alessandro Pessoli

    Girls, 2007

    As obras de Alessandro Pessoli mesclam referências pessoais com acontecimentos históricos, num procedimento que aproxima grandes narrativas a fatos íntimos e autobiográficos.

    Cildo Meireles

    Glove Trotter, 1991

    Em Glove Trotter, Cildo Meireles lida com questões clássicas da escultura: volume, peso e gravidade. Porém estas questões se desdobram para noções de contexto geográfico e de universalidade.

    Miguel Rio Branco

    Gritos Surdos, 2001

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Gritos Surdos, 2001 fotografias cibachrome, pára-brisas quebrados e luz fluorescente, dimensões variáveis

    Roberto Burle Marx

    Guaratiba, 1989

    Guaratiba, 1989 óleo sobre tela

    Zhang Huan

    Gui Tuo Bei, 2001

    Na cultura chinesa, monumentos monolíticos carregados por uma tartaruga são comuns em lugares sagrados e espaços públicos, servindo como fonte de contextualização histórica do local e simbolizando poder político ou religioso.

    Miguel Rio Branco

    Hanging Ghost, 1992

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Hanging Ghost, 1992 fotografia Cibachrome

    Miguel Rio Branco

    Heartless Black Saint Sebastian, 1994

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Hartless Black Saint Sebastian, 1994 fotografia Cibachrome, (políptico de 9)

    León Ferrari

    Heliografias, 1980

    Quando morou no Brasil entre 1976 e 1991, León Ferrari realizou um impressionante conjunto de heliogravuras que se assemelham a plantas de arquitetura e que representam situações fictícias de explosão demográfica e de caos urbano.

    Miguel Rio Branco

    Hell´s diptych, 1993

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    Luiz Zerbini

    High Definition, 2010

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Paul McCarthy

    Hollywood Halloween, 1977

    Sua obra une o ritualístico e o profano, sangue e catchup.

    Pipilotti Rist

    Homo Sapiens Sapiens, 2005

    Grabs, Suíça, 1962; vive em Zurique Homo Sapiens Sapiens, 2005 instalação de áudio e vídeo

    Olafur Eliasson

    I believe, 1992

    Eliasson é hoje um dos artistas com maior visibilidade internacional. Suas instalações em grande escala promovem uma recriação artificial de fenômenos naturais.

    Alessandro Pessoli

    Il Caduto, 2006

    As obras de Alessandro Pessoli mesclam referências pessoais com acontecimentos históricos, num procedimento que aproxima grandes narrativas a fatos íntimos e autobiográficos.

    Marcius Galan

    Imóvel/Instável, 2011

    Servindo-se de uma linguagem de formas minimalistas e simples, e do uso de materiais como o concreto, o ferro e a madeira, o artista Marcius Galan desenvolve, desde a década de 1990, uma obra que convoca reflexões sobre a escultura, a geometria e o espaço.

    Ernesto Neto

    Inércia e Memória de Puffs e Piffs, 2004

    Rio de Janeiro, 1964; vive no Rio de Janeiro Inércia e Memória de Puffs e Piffs, 2004 cravo da índia,pimenta-do-reino, urucum e açafrão da terra sobre papel

    Cildo Meireles

    Inmensa, 1982

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    Cildo Meireles

    Inserções em circuitos ideológicos: Projeto Coca-Cola, 1970

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    Hélio Oiticica

    Invenção da cor, Penetrável Magic Square # 5, De Luxe, 1977

    Rio de Janeiro, 1937 – Rio de Janeiro, 1980 Invenção da cor, Penetrável Magic Square # 5, De Luxe, 1977

    Michel Majerus

    Kick, Kick, Kick, 1999

    Michel Majerus é um dos principais artistas identificados com a revitalização da pintura na Alemanha no final da década de 1990. Em sua obra, encontramos um amálgama de diferentes referências

    Jorge Macchi

    La ciudad luz, 2007

    Mapas constituem uma das matérias-primas preferidas de Jorge Macchi - um artista que se interessa por outras fontes gráficas como jornais, cadernos e pautas musicais.

    Victor Grippo

    La intimidad de la luz en St Ives, 1997

    Victor Grippo ocupa lugar de destaque na produção artística das últimas décadas, sendo um dos principais nomes do grupo ligado à arte conceitual na Argentina.

    Eugenio Dittborn

    La VI historia del rostro (El Rojo Camino Negro), 1989

    As pinturas aeropostais de Eugenio Dittborn começaram a circular em 1983 e constituíram, originalmente, uma maneira de o artista se relacionar com contextos artísticos que não o de seu país, o Chile, então isolado pela ditadura militar (1973-1990).

    Luiz Zerbini

    Lago Quadrado, 2010

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Jorge Pardo

    Lamps, 2004

    Havana, Cuba, 1963; vive em Los Angeles Lamps, 2004 vidro soprado e metal

    Tunga

    Lézart, 1989

    Tranças, tacapes e pentes são elementos recorrentes na obra do escultor Tunga — um escultor que se vale da narrativa assim como se vale de elementos formais.

    Adriana Varejão

    Linda do Rosário , 2004

    Adriana Varejão elegeu o campo da pintura para desenvolver sua obra. Sua produção abarca fotografia, escultura e instalação, mas sobretudo a pintura.

    Tobias Rehnberger

    Loser’s library, 2002

    Tobias Rehberger busca o diálogo da arte com disciplinas vizinhas, como o design, o cinema, a decoração e a arquitetura, criando esculturas e instalações que, muitas vezes, são objetos funcionais em si.

    Luiz Zerbini

    Mamão Manilha, 2012

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    Mão, mais pequena que mão, 2009

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Miguel Rio Branco

    Mãos em Santiago, 1993

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Mãos em Santiago, 1993 fotografia Cibachrome

    Rivane Neuenschwander

    Mapa Mundi BR (Postal), 2007

    Belo Horizonte, 1967; vive em Belo Horizonte Mapa Mundi BR (Postal), 2007 cartões postais prateleiras de madeira

    Laura Vinci

    Máquina do mundo, 2005

    Através de esculturas e instalações que desenvolve desde os anos 1980, Laura Vinci tematiza questões ligadas ao tempo, às mudanças e transformações.

    Luiz Zerbini

    Mar do Japão, 2010

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Marepe

    Marepe, 2013

    Ao apropriar-se de objetos e elementos do cotidiano, convertendo-os em obras de arte, num gesto que remete a Marcel Duchamp, Marepe situa conceitualmente seu trabalho entre o utilitário e o poético.

    Miguel Rio Branco

    Máscara del dolor, 1976

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    José Damasceno

    Método para arranque e deslocamento, 1992

    Montada pela primeira vez em 1993, esta obra sinaliza uma inflexão na jovem obra de Damasceno, que pela primeira vez trabalhava com materiais pré-fabricados, retirados de seu uso na vida cotidiana, e não com materiais "puros" da arte aos quais estava acostumado, como o mármore e o metal.

    Juan Araujo

    Mineiriana, 2013

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Anri Sala

    Mixed Behavior, 2003

    Ao reunir a urgência do cinema documentário à manipulação da tecnologia digital, os vídeos de Anri Sala aproximam estética e política.

    Tobias Rehnberger

    Montreuse, 2002

    Tobias Rehberger busca o diálogo da arte com disciplinas vizinhas, como o design, o cinema, a decoração e a arquitetura, criando esculturas e instalações que, muitas vezes, são objetos funcionais em si

    Juan Araujo

    MS 1, 2012

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Juan Araujo

    MS 2, 2012

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Juan Araujo

    MS 5, 2012

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Miguel Rio Branco

    Nada levarei quando morrer, Aqueles que me devem cobrarei no Inferno,

    As cenas revelam uma intensa relação entre retratista e retratados, aproximando documentário e ficção, realidade e fantasia.

    Yayoi Kusama

    Narcissus garden, 2009

    Narcissus garden Inhotim (2009) é uma nova versão da escultura-chave de Yayoi Kusama originalmente apresentada em 1966 para uma participação extra-oficial da artista na 33a Bienal de Veneza.

    Alexandre da Cunha / Damián Ortega / Gabriel Orozco / Geraldo de Barros / Hitoshi Nomura / Jiro Takamatsu / João Maria Gusmão / Jorge Macchi / Mauro Restiffe / Pedro Paiva / Rivane Neuenschwander / Robert Morris / Sara Ramo / Tacita Dean

    Natureza-Morta, 2013

    Natureza-Morta pretende contar uma velha história a partir de novos ângulos. A natureza-morta sempre ocupou lugar central na história da pintura.

    Ernesto Neto

    Nave Deusa, 1998

    Expondo desde o final dos anos 1980, Ernesto Neto realiza hoje uma das mais originais pesquisas em escultura no mundo, promovendo uma leitura única do legado formal do modernismo a partir de uma visão orgânica da geometria.

    Doris Salcedo

    Neither, 2004

    Bogotá, Colômbia, 1958; vive em Bogotá Neither, 2004 placas de gesso e aço

    Michel Majerus

    New Comer, 2001

    Michel Majerus é um dos principais artistas identificados com a revitalização da pintura na Alemanha no final da década de 1990. Em sua obra, encontramos um amálgama de diferentes referências

    Ninguna Huella (Ahorcado Negro) Airmail Painting nº 001, 1984

    As pinturas aeropostais de Eugenio Dittborn começaram a circular em 1983 e constituíram, originalmente, uma maneira de o artista se relacionar com contextos artísticos que não o de seu país, o Chile, então isolado pela ditadura militar (1973-1990).

    Alexandre da Cunha

    Nouveau, 2007

    A disposição das obras de Alexandre da Cunha na primeira sala da Galeria Fonte evoca uma natureza-morta, repetindo assim o próprio tema da exposição que ela inicia.

    Laura Lima

    Novos Costumes, 2007

    Laura Lima centra sua produção artística no pensamento sobre o corpo: como suporte, como referência e como duplo do objeto de arte. Com seu ambiente arquitetônico especialmente pensado para esta montagem, Novos costumes recria, no espaço expositivo, uma loja com diversas peças ao alcance dos visitantes.

    Adriana Varejão

    O Colecionador, 2008

    Adriana Varejão elegeu o campo da pintura para desenvolver sua obra. Sua produção abarca fotografia, escultura e instalação, mas sobretudo a pintura.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    O Homem Sombra, 2006

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    O Homem Tocha, 2007

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Artur Barrio

    O Ignoto, 1996

    Artur Barrio se tornou famoso por suas obras realizadas nos anos 1960 e 1970, nas quais intervinha no espaço da cidade com sangue, ossos, pães e papel higiênico, reagindo ao ambiente repressivo e violento da ditadura militar no Brasil e às condições materiais de desigualdade do Terceiro Mundo.

    Damián Ortega

    Obstaculo, Da série Construcciones, 1997

    O trabalho de Damián Ortega é fortemente ancorado na escultura e na experimentação, frequentemente com um toque de humor.

    Marepe

    Olê ô picolê, 2007

    Ao apropriar-se de objetos e elementos do cotidiano, convertendo-os em obras de arte, num gesto que remete a Marcel Duchamp, Marepe situa conceitualmente seu trabalho entre o utilitário e o poético.

    Steve McQueen

    Once Upon a Time, 2002

    Once upon a time [Era uma vez, 2002] consiste numa projeção em slides de fotografias que a NASA – Agência Nacional Aero-Espacial dos Estados Unidos - mandou para o espaço à bordo da Voyager II, em 1977

    Jim Lambie

    Pale Blue Eyes, 2002

    Glasgow, Escócia, 1964; vive em Glasgow e Nova York Pale Blue Eyes, 2002 caixas de som, tecido, espelho e acrílico

    Tunga

    Palíndromo Incesto, 1990

    Palmares, Pernambuco, 1952; vive no Rio de Janeiro Palíndromo Incesto, 1990 - 1992 fio de cobre, imã, folhas de cobre e limalha de ferro

    Rirkrit Tiravanija

    Palm Pavilion, 2006

    Originalmente concebida para a 27ª Bienal de São Paulo, em 2006, a obra Palm Pavilion (2006-2008) tem em Inhotim sua primeira montagem ao ar livre.

    Adriana Varejão

    Panacea Phantastica, 2003

    Adriana Varejão elegeu o campo da pintura para desenvolver sua obra. Sua produção abarca fotografia, escultura e instalação, mas sobretudo a pintura.

    José Damasceno

    Parábola, 2000

    Rio de Janeiro, 1968; vive no Rio de Janeiro Parábola, 2000 mármore, 30 x 350 x 380 cm, 2000

    Adriana Varejão

    Passarinhos – de Inhotim a Demini, 2003

    Depois de algum tempo vivendo na aldeia yanomani Demini, na Amazônia, a artista criou a obra para uma exposição sobre os yanomami, inspirada na forte ligação dos índios com os pássaros.

    Miguel Rio Branco

    Pêssegos, 1994

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    Jiro Takamatsu

    Photographs of photographs, 1973

    Jiro Takamatsu é uma das principais figuras da vanguarda japonesa dos anos 1960 em diante, tendo participado do seminal coletivo High Red Center (1963-64) e se aproximado do movimento Mono-Ha (1967-1979).

    Vik Muniz

    Pictures of Dust, 1960

    Série Pictures of Dust

    Vik Muniz

    Pictures of Earthworks, 2002

    The Sarzedo Drawings da Série Pictures of Earthworks

    Luiz Zerbini

    Pintura Velha, 2013

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Saint Clair Cemin

    Pioneer, 1999

    Cruz Alta, Rio Grande do Sul, 1951; vive em Nova York Pioneer, 1999 mármore

    Jorge Macchi

    Piscina, 2009

    Piscina (2009) é a realização escultórica de um desenho que o artista fez de uma caderneta de endereço com índice alfabético, aqui transformada numa obra site-specificque é também uma piscina em funcionamento.

    João Maria Gusmão / Pedro Paiva

    Poliedro de Frutas, 2009

    Os filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva investigam acontecimentos mágicos, fenômenos físicos, eventos ritualísticos e experimentos científicos, e se somam a fotografias, instalações, esculturas e escritos no exercício de criar uma filosofia experimental.

    Alexandre da Cunha

    Pool, 2004

    Alexandre da Cunha tem a criação de objetos como principal manifestação e seus procedimentos aproximam a colagem e a assemblage da escultura.

    Michel Majerus

    Progressive Aesthetics, 1998

    Michel Majerus é um dos principais artistas identificados com a revitalização da pintura na Alemanha no final da década de 1990. Em sua obra, encontramos um amálgama de diferentes referências

    Dominique Gonzalez-Foerster

    Promenade, 2007

    A experiência de caminhar na obra de arte é um tema há muito tempo presente na agenda dos artistas e em constante evolução.

    Alexandre da Cunha

    Public Sculpture (Obelisk 1), 2008

    A disposição das obras de Alexandre da Cunha na primeira sala da Galeria Fonte evoca uma natureza-morta, repetindo assim o próprio tema da exposição que ela inicia.

    Alexandre da Cunha

    Public sculpture (Pouff 1, 2 e 3), 2008

    Alexandre da Cunha se move pela história da arte como um disc jockey que sampleia músicas de fontes variadas para fazer sua própria música.

    Damián Ortega

    Puente, 1997

    O trabalho de Damián Ortega é fortemente ancorado na escultura e na experimentação, frequentemente com um toque de humor.

    Jim Lambie

    Punk Prayer, 2001

    Glasgow, Escócia, 1964; vive em Glasgow e Nova York Punk Prayer, 2001 poster e colagem

    Thomas Hirschhorn

    Restore Now, 2006

    Em Restore Now (2006), uma diversidade de objetos e materiais se transforma em ferramentas para uma interpretação (re)construtiva do mundo.

    Babette Mangolte

    Richard Serra, Film Portrait, 1977

    Babette Mangolte é uma artista visual, pensadora, cineasta e fotógrafa nascida na França e baseada nos Estados Unidos há mais de 40 anos.

    John Ahearn / Rigoberto Torres

    Rodoviária de Brumadinho, 2005

    Os murais escultóricos de John Ahearn são muito mais do que simples esculturas realistas: são desafios à própria natureza da representação, de quem representa quem.

    Zhang Huan

    Rubens, 2000

    An Yang, China, 1965; vive em Nova York Rubens, 2000 - 2001 bronze

    Babette Mangolte

    Rushes revisited, 2013

    Babette Mangolte é uma artista visual, pensadora, cineasta e fotógrafa nascida na França e baseada nos Estados Unidos há mais de 40 anos.

    Chris Burden

    Samson, 1985

    Samson consiste em um macaco mecânico de 100 toneladas conectado a um sistema de transmissão e uma catraca. O macaco pressiona duas grandes vigas apoiadas contra as paredes da galeria.

    Marcius Galan

    Seção diagonal, 2008

    Seção diagonal (2008) propõe uma relação ativa com o espectador, causando uma reação inicial de descoberta e de surpresa, seguida de um momento que pode variar do encantamento à decepção.

    Edward Krasinski

    Sem título, 2004

    Figura central da vanguarda polonesa, Edward Krasinski começou a trabalhar em Varsóvia na década de 1960, tomando parte do coletivo formado por artistas e críticos de arte em torno da galeria Foksal.

    Edgard de Souza

    Sem Título, 1998

    Desde o final dos anos 80, Edgard de Souza vem construindo um conjunto de obras marcado por uma qualidade artesanal e um ritmo lento de produção que se destaca da escultura contemporânea de grande escala.

    Edgard de Souza

    Sem Título, 2001

    Desde o final dos anos 80, Edgard de Souza vem construindo um conjunto de obras marcado por uma qualidade artesanal e um ritmo lento de produção que se destaca da escultura contemporânea de grande escala.

    Franz Ackermann

    Sem Título, 2004

    Franz Ackermann é um eterno viajante, que reflete sobre a globalização e o crescimento incessante dos centros urbanos.

    João José Costa

    Sem título, 1953

    João José Costa é um dos artistas fundadores do Grupo Frente, do Rio de Janeiro, um dos mais ativos na vanguarda concretista brasileira dos anos 50.

    Nuno Ramos

    Sem título, 1994

    Desde os anos 1980, Nuno Ramos desenvolve sua obra em diferentes mídias — escultura, instalação, desenho, vídeo, filme, prosa, poesia —, mantendo a pintura como linguagem de origem.

    Sandra Cinto

    Sem Título,

    Santo André, São Paulo, 1968; vive em São Paulo Sem Título

    Luiz Zerbini

    Sem Título, 2004

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Luisa Lambri

    Sem Título (Casa das Canoas), 2003

    O trabalho de Luisa Lambri consiste em fotografias de grandes obras arquitetônicas da era moderna.

    Mauro Restiffe

    Sem título (Depois de Vermeer, 1998), 2000

    A instalação propõe uma investigação dos espaços real e fotográfico, colocando em jogo temas e elementos importantes para ambos: paredes e molduras, frente e verso, interior e exterior.

    Iran do Espírito Santo

    Sem título (Desdobrado), 2004

    Espírito Santo está interessado, sobretudo, na representação, algo que explora em suas instalações, esculturas, desenhos sobre papel, madeira e parede, gravuras e fotografias.

    Sandra Cinto

    Sem Título (Portal), 2001

    Santo André, São Paulo, 1968; vive em São Paulo Sem Título (Portal), 2001 desenho sobre madeira e MDF pintado

    Rubens Mano

    Sem Título - do Projeto Básculas, 2000

    São Paulo, 1960; vive em São Paulo Sem Título - do Projeto Básculas, 2000 aço Inoxidável e ferro

    Edgard de Souza

    Sem título, 2000; Sem título, 2002; Sem título (Bronze 5), 2005, 2000

    Desde o final dos anos 80, Edgard de Souza vem construindo um conjunto de obras marcado por uma qualidade artesanal e um ritmo lento de produção que se destaca da escultura contemporânea de grande escala.

    Jarbas Lopes

    Série Cicloviaérea, 2003

    Nova Iguaçu, RJ; reside e trabalha em Maricá, Rio de Janeiro Série Cicloviaérea, 2003 - 2004 caneta esferográfica sobre papel, 38 desenhos, 30 x 22,5 cm cada

    Albano Afonso

    Série Florestas – Primavera, 2000

    Série Florestas – Primavera, 2000 perfurador sobre fotografia laminada, montada sobre alumínio espelhado.

    Geraldo de Barros

    Série Fotoformas, 1948

    Geraldo de Barros foi um dos mais ativos artistas da vanguarda brasileira nos anos 1940 e 1950 e pertenceu ao primeiro grupo concretista de São Paulo, Ruptura, que promoveu a arte concreta no Brasil a partir de 1952.

    Laura Lima

    Série Homem=Carne / Mulher=Carne, 1997

    Desde 1995, Laura Lima vem desenvolvendo um conjunto de trabalhos que tomam o corpo como elemento principal, aproximando-se da tradição de utilização do nu na história da arte.

    Jarbas Lopes

    Série O Debate, 2002

    Nova Iguaçu, RJ; reside e trabalha em Maricá, Rio de Janeiro Série O Debate, 2002-2003 plotter de campanha política e carpete trançados

    Rochelle Costi

    Série Quartos São Paulo, 1998

    Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, 1961; vive em São Paulo Série Quartos São Paulo, 1998

    Albano Afonso

    Série Retratos, 2001

    Série Retratos - Auto-Retrato com David, 2001 perfurador sobre fotografia

    Larry Clark

    Série Teenage Lust, 1972

    Conhecido diretor dos filmes Kids (1995) e Ken Park (2002), Larry Clark iniciou seu trabalho e definiu sua linguagem visual como fotógrafo, um dos mais influentes na renovação do realismo americano.

    Larry Clark

    Série Tulsa, 1972

    Conhecido diretor dos filmes Kids (1995) e Ken Park (2002), Larry Clark iniciou seu trabalho e definiu sua linguagem visual como fotógrafo, um dos mais influentes na renovação do realismo americano.

    Rosângela Rennó

    Série Vermelha, 2000

    Boots, Hangman, Riffleman, da Série Vermelha, 2000

    Marcellvs L.

    Série Vídeo-Rizomas, 2003

    Desde o início dos anos 2000, Marcellvs L. vem realizando uma série de obras nominadas Vídeo-Rizomas, que hoje conta com mais de 20 títulos.

    Juan Araujo

    Serro, 2013

    Desde o fim dos anos 1990, Juan Araujo vem realizando uma vasta obra sobre pintura de pequena e média escala em que a citação de outras obras é um importante elemento.

    Babette Mangolte

    Slide show: movement and stills, 2010

    Babette Mangolte é uma artista visual, pensadora, cineasta e fotógrafa nascida na França e baseada nos Estados Unidos há mais de 40 anos.

    Miguel Rio Branco

    Smoking Mirror, 1992

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Smoking Mirror, 1992 fotografia Cibachrome

    Luiz Zerbini

    Sombra, 2002

    O artista se dedicar a uma prática pictórica experimental e profunda que transcende tendências e modas, com a produção de um conjunto de obras significativo.

    Miguel Rio Branco

    Some Balls, 1993

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Some Balls, 1993 - 1994 fotografia, tríptico

    Doug Aitken

    Sonic Pavilion, 2009

    Sonic pavilion [Pavilhão sônico, 2009] é uma obra site-specific desenvolvida a partir de uma ideia pré-existente e resultado de um processo de cinco anos, entre pesquisa, projeto e construção.

    Isa Genzken

    Strassenfest, 2009

    Strassenfest [Festa de rua, 2009] é uma grande colagem tridimensional composta de objetos encontrados e retrabalhados pela artista.

    Miguel Rio Branco

    Swift on Blue, 1992

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Swift on Blue, 1992 fotografia Cibachrome

    Janine Antoni

    Swoon, 1997

    Na instalação composta por três ambientes, a entrada do espectador se dá por uma sala onde se vê o lado externo de uma parede cenográfica e se ouve uma forte respiração.

    Hitoshi Nomura

    Tardiology , 1969

    Hitoshi Nomura é um nome central da arte japonesa conceitual do fim dos anos 1960 em diante.

    Susan Hiller

    The last silent movie, 2007

    Predominantemente uma obra sonora, The last silent movie (2007-08) é uma colcha de retalhos composta por fragmentos de arquivos de áudio de línguas extintas, quase extintas ou ameaçadas de extinção.

    Simon Starling

    The Mahogany Pavilion (Mobile Architecture No.1), 2004

    Epsom, Inglaterra, 1967; vive em Glasgow, Escócia, e Berlim The Mahogany Pavillion (Mobile Architecture No.1), 2004 veleiro "loch long" invertido (no.73) construído em 1963 pela Boags Boat Yard em Lsrgs, Escócia, usando mogno sul-americano

    George Bures Miller / Janet Cardiff

    The Murder of Crows, 2008

    Em The murder of crows (2008) [que poderia ser traduzido por “revoada de corvos”], 98 caixas de som são montadas sobre pedestais, cadeiras e paredes, e distribuídas à maneira de uma orquestra, convidando o visitante a acomodar-se em assentos dispostos no centro do espaço.

    Guillermo Calzadilla / Jennifer Allora

    There’s More Than One Way To Skin a Sheep, 2007

    Jeniffer Allora e Guillermo Calzadilla trabalham colaborativamente desde 1995 e desenvolvem, em filmes, fotografias, performances, esculturas e instalações, uma crítica aos sistemas sócio-culturais presentes nos processos de globalização.

    Haegue Yang

    Three kinds in transition, 2008

    Constituída de uma série de 473 imagens, esta obra de Haegue Yang exibe globos, esferas, bolas e origamis em forma de polígono.

    To Draw a Line, 2003

    Desde o início dos anos 1990, Janine Antoni realiza esculturas, fotografias e vídeos que fundem interesse pelos elementos formais da arte (tais como linha, formato, textura, forma e processo) com questões pessoais individuais, resultando em uma exploração de política e identidade de gênero.

    Miguel Rio Branco

    Touch of Evil, 1994

    Resultado de um longo processo de colaboração entre Inhotim e o artista, o Pavilhão Miguel Rio Branco foi construído nos últimos dois anos para abrigar uma apresentação abrangente de sua produção.

    Babette Mangolte

    Touching III with collage III, 2013

    Babette Mangolte é uma artista visual, pensadora, cineasta e fotógrafa nascida na França e baseada nos Estados Unidos há mais de 40 anos.

    José Damasceno

    Transporte Independente, 1999

    Rio de Janeiro, 1968; vive no Rio de Janeiro Transporte Independente, 1999 madeira, revestimento sintético e pelúcia

    José Damasceno

    Trilha Sonora, 2002

    Rio de Janeiro, 1968; vive no Rio de Janeiro Trilha Sonora, 2002 martelos de ferro e madeira, dimensões variáveis

    Luiz Zerbini

    Tríptico Dark, 2012

    A exposição amor lugar comum reúne nove trabalhos de Luiz Zerbini produzidos na última década. Como conjunto, as obras demonstram a intencionalidade da prática pictórica do artista, suas estratégias compositivas e sua relação com o tempo.

    Jarbas Lopes

    Troca-Troca, 2002

    Nova Iguaçu, RJ; reside e trabalha em Maricá, Rio de Janeiro Troca-Troca, 2002 fuscas com aparelhagem de som

    Tunga

    True Rouge, 1997

    Desde meados dos anos 1970, Tunga cria obras de um imaginário exuberante em desenho, escultura, instalação, filme, vídeo e performance.

    Lygia Pape

    Ttéia 1C, 2002

    Ttéia1C (2002) é uma obra da última etapa da carreira de Lygia Pape e condensa uma série de questões levantadas na trajetória dessa artista que é uma das principais vozes na arte brasileira da segunda metade do século 20.

    Miguel Rio Branco

    Tubarões de seda, 2006

    Tubarões de seda (2006), por sua vez, é uma instalação em que fotografias foram impressas diretamente sobre um tecido, que convida o espectador a percorrê-la não apenas com os olhos mas também com o corpo.

    Jorge Pardo

    Untitled, 2002

    Havana, Cuba, 1963; vive em Los Angeles Untitled, 2002 jato de tinta e látex sobre tela

    Gabriel Orozco

    Untitled, 2007

    A obra de Gabriel Orozco é comumente relacionada à prática dos diários, registrando lugares que ele visita, experiências específicas, materiais que recolhe ou encontros fortuitos que provocam ação, documentação e produção.

    Luisa Lambri

    Untitled (Casa de Baile), 2003

    A arte e a arquitetura brasileiras são os temas principais das pinturas e fotografias de Juan Araujo e Luisa Lambri expostas nesta sala.

    Navin Rawanchaikul / Rirkrit Tiravanija

    Untitled (Cities on the Move), 1997

    Apropriando imagens da cultura popular e da vida urbana, a instalação Untitled (Cities on the Move), 1997 foi concebida como um convite à participação do espectador.

    Tunga

    Untitled (da Série Vanguarda Viperina), 1983

    Palmares, Pernambuco, 1952; vive no Rio de Janeiro Untitled (da Série Vanguarda Viperina), 1983-97 instalação de chumbo, 11 metros lineares

    Luisa Lambri

    Untitled (Ministério da Educação e Saúde, #2), 2003

    O trabalho de Luisa Lambri consiste em fotografias de grandes obras arquitetônicas da era moderna.

    Robert Morris

    Untitled (Mirrored Cubes), 1965

    Precursor do minimalismo e das experiências pós-minimalistas, Robert Morris é figura central no contexto artístico do final do século 20 e na definição de seus principais movimentos.

    Luisa Lambri

    Untitled (Palácio da Indústria, #3), 2003

    O trabalho de Luisa Lambri consiste em fotografias de grandes obras arquitetônicas da era moderna.

    Luisa Lambri

    Untitled (Palácio dos Arcos), 2003

    O trabalho de Luisa Lambri consiste em fotografias de grandes obras arquitetônicas da era moderna.

    Cristina Iglesias

    Vegetation Room Inhotim, 2010

    Desde o começo dos anos 1980, Cristina Iglesias vem construindo um dos discursos escultóricos mais marcantes do nosso tempo.

    Mauro Restiffe

    Vermeer, 1998

    A instalação propõe uma investigação dos espaços real e fotográfico, colocando em jogo temas e elementos importantes para ambos: paredes e molduras, frente e verso, interior e exterior.

    Mauro Restiffe

    Vermeer embalado, 1999

    A instalação propõe uma investigação dos espaços real e fotográfico, colocando em jogo temas e elementos importantes para ambos: paredes e molduras, frente e verso, interior e exterior.

    Olafur Eliasson

    Viewing Machine, 2001

    Esta obra de Olafur Eliasson baseia-se nos princípios de funcionamento do caleidoscópio, gerando um efeito obtido pelo reflexo da luz em seis espelhos que formam um tubo hexagonal.

    Cinthia Marcelle

    Volta ao Mundo, da Série Unus Mundus, 2004

    9 kombis brancas circulam uma mesma praça, ficando todas visíveis em conjunto. Os veículos entram um a um no circuito, girando simultaneamente em torno do lugar.

    Babette Mangolte

    Water motor, 1978

    Babette Mangolte é uma artista visual, pensadora, cineasta e fotógrafa nascida na França e baseada nos Estados Unidos há mais de 40 anos.

    Franz Ackermann

    Waterfall (From Prora to Ostende), 2002

    Franz Ackermann é um eterno viajante, que reflete sobre a globalização e o crescimento incessante dos centros urbanos.

    Miguel Rio Branco

    Wax, Wood and Flash, 1993

    Las Palmas de Gran Canaria, Ilhas Canárias, Espanha, 1946; vive no Rio de Janeiro Wax, Wood and Flash, 1993-96 fotografia Cibachrome

    Cao Guimarães / Rivane Neuenschwander

    Word/World, 2001

    No filme Word/World (2001), Neuenschwander e Guimarães conduzem a atenção do espectador para a terra, introduzindo-o a uma ótica inusitada, a das formigas.

    Franz Ackermann

    World II, 2000

    Franz Ackermann é um eterno viajante, que reflete sobre a globalização e o crescimento incessante dos centros urbanos.

    Michel Majerus

    Yet sometimes, 1998

    Michel Majerus é um dos principais artistas identificados com a revitalização da pintura na Alemanha no final da década de 1990. Em sua obra, encontramos um amálgama de diferentes referências

    Michel Majerus

    You Know, You've Got a Bad Habit, You Breath, 2001

    Michel Majerus é um dos principais artistas identificados com a revitalização da pintura na Alemanha no final da década de 1990. Em sua obra, encontramos um amálgama de diferentes referências

    Cildo Meireles

    Zero Cruzeiro, 1974

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    Cildo Meireles

    Zero Dollar, 1978

    Cildo Meireles tem se afirmado como voz única na arte contemporânea, construindo uma obra impregnada pela linguagem internacional da arte conceitual, mas que dialoga de maneira pessoal com o legado poético do neconcretismo brasileiro.

    xxx