• EN
  • 16 de janeiro de 2018

    Redação Inhotim


    Leitura: 5 min

    Um encontro marcado entre quem faz o Inhotim acontecer

    Um encontro marcado entre quem faz o Inhotim acontecer

    Três vezes por semana, funcionários e funcionárias do Inhotim se reúnem em lugares variados do Instituto com um único objetivo: conhecer melhor o espaço onde trabalham, sentindo-se à vontade para desfrutar de todas as possibilidades por aqui. Desde 2009, o projeto Encontro Marcado busca a integração entre as diferentes áreas e a democratização do acesso aos acervos botânico, artístico e histórico-cultural do Inhotim. Os encontros são realizados ao longo de todo o ano, com carga horária de 2 horas cada, e são desenvolvidos pela Gerência de Educação.

    As reuniões possuem um caráter de “formação temática”, e quem quiser participar se inscreve autonomamente em uma coletânea de encontros propostos pela equipe educativa. A disponibilidade de cada pessoa é conversada com a gerência das equipes, e os participantes e as participantes podem se inscrever em quantos encontros quiserem. Esses momentos são construídos através de ações teórico-práticas e, em sua maioria, resultam em uma produção plástica feita por quem participa. Até o próximo sábado, dia 20 de janeiro, uma mostra dos trabalhos desenvolvidos durante os Encontros Marcados de 2017 está em exibição na Biblioteca Inhotim.

    Essa ideia de integração surgiu a partir da iniciativa de duas funcionárias da Biblioteca Inhotim. Estas, ao serem abordadas por um jardineiro do Instituto, foram questionadas se ele poderia entrar para ler um livro. A pergunta evidenciou uma necessidade em fazer com que as próprias pessoas que trabalham no Parque conheçam o lugar, tendo dimensão de todas as áreas e se sentindo livres para usar os espaços.

    Após o episódio, algumas ações foram elaboradas para serem desenvolvidas ao longo do ano, incentivando esse sentimento de pertencimento entre funcionários e funcionárias e o Inhotim. Uma vez por mês, um encontro era marcado (deu-se a origem do nome) em locais específicos, tais como: biblioteca, galerias de arte e jardins do Inhotim, apresentando a quem se inscrevesse um universo de informações e possibilidades às quais essas pessoas não tinham acesso. Inicialmente, somente a equipe de jardineiros e jardineiras era contemplada com as ações do projeto, porém logo se percebeu o impacto positivo gerado no cotidiano dos funcionários, entendendo-se, portanto, a importância do alcance de todas as equipes das áreas de atendimento ao público e manutenção do Museu. Hoje em dia, as inscrições são abertas para todos os interessados e interessadas e os encontros têm ocorrência semanal.

    Durante um dos encontros, participantes aprenderam a fazer monotipia.

    Durante um dos encontros, participantes aprenderam a fazer monotipia.

    Ouvir, ao final de cada atividade, o depoimento emocionado por parte de funcionários que trabalham no Instituto há mais de três anos e que nunca haviam entrado em determinada galeria, na biblioteca ou simplesmente passado por um dos jardins traz a motivação e o desejo para a realização permanente desse projeto. O Encontro Marcado se consolidou como um espaço de socialização entre as equipes do Instituto, permitindo o exercício do respeito, diálogo, cooperação e abertura para o outro, além de estimular a colaboração entre áreas do Inhotim.

    *Esse texto foi escrito por William Costa, educador do projeto Encontro Marcado.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    27 de dezembro de 2017

    Redação Inhotim


    artebotânicabrumadinhoeducaçãojaneiro; férias

    Leitura: 9 min

    Verão no Inhotim: confira a programação educativa de janeiro

    Verão no Inhotim: confira a programação educativa de janeiro

    Janeiro é mês de férias para muita gente. E para receber a turma toda por aqui, a equipe educativa do Inhotim pensou em uma programação que agradasse a todas as idades. Tem oficinas, brincadeiras e visitas mediadas para fazer do passeio no Inhotim um momento bom para todas as famílias, amigos e amigas. E claro, para quem vem só também.  Confira as atividades oferecidas e prepare sua visita. Ah… e é sempre bom lembrar que temos um ponto de apoio  onde você tira todas suas dúvidas sobre o Instituto. É a Estação Educativa para Visitantes, localizada no Centro de Educação e Cultura Burle Marx. Lá, sempre vai ter gente para te orientar da melhor forma.

    – Oficina de Carimbo Artesanal
    Seja para autenticar documentos ou para indicar datas, os carimbos têm uma história antiga e estão presentes em vários locais. Todos os países têm sua história documentada por meio dos carimbos, que fixam os acontecimentos marcantes situando-os no tempo e no espaço. Através da confecção de carimbos artesanais no Inhotim, a oficina tem como objetivo a exploração de uma linguagem que remonta as origens da comunicação gráfica, além de levantar possibilidades de diálogos com os acervos do Instituto a respeito das questões de autenticidade e reprodutibilidade das obras de arte, aproximando o público do entendimento de uma linguagem que foi precursora para as mídias que hoje fazem parte do nosso cotidiano.
    Quando: 03 e 06 de janeiro (quarta-feira e sábado)
    Horário: 14h às 16h Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: adultos e crianças acima de 10 anos
    Observação: limite de 20 vagas, inscrições no local por ordem de chegada

    – Oficina de Furoshiki
    O Furoshiki é uma tradicional forma japonesa de embrulhar presentes, transportar objetos como garrafas, caixas e outros objetos. Utilizando de um pedaço de tecido de forma quadrangular e algumas técnicas de dobradura e amarração do lenço, é possível criar inclusive bolsas para serem usadas no dia a dia. Além de criativo e versátil o Furoshiki ainda contribui para a redução do uso de bolsas plásticas. Adultos e crianças são convidados a participar desta divertida atividade!
    Quando: 10 e 13 de janeiro (quarta-feira e sábado)
    Horário: 14h às 16h Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: adultos e crianças acima de 10 anos Observação: limite de 10 vagas, inscrições no local por ordem de chegada

    – Oficina de Colagem
    A colagem é um procedimento técnico, que constitui em se utilizar de vários materiais, umas sobre as outras ou lado a lado, formando uma nova imagem ou composição. Tem surgimento datado da história antiga, entretanto teve seu valor artístico reconhecido a partir do século XX, com sua utilização no Cubismo (grandes nomes como Pablo Picasso e Georges Braque, entre outros, foram pioneiros na utilização desta técnica). Através de processos de colagens e técnicas mistas, o participante é sensibilizado a repensar de maneira artística e sustentável a utilização de diversos materiais e suportes, como madeira, pedaços de jornal e objetos. A colagem é uma técnica que põe em questão os limites entre pintura e escultura, o que é hoje a grande questão da arte contemporânea.
    Quando: 17 e 20 de janeiro (quarta-feira e sábado)
    Horário: 14h às 16h Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: adultos e crianças acima de 10 anos
    Observação: limite de 25 vagas, inscrições no local por ordem de chegada

    – Oficina de Flipbook
    A criação da fotografia e do cinema foram extremamente revolucionarias, principalmente nas artes e nas ciências. O Flipbook ou Folioscópio é uma tradicional técnica cinematográfica experimental que trata de dar a sensação de movimento a imagens por meio de rápida alternação das mesmas. Através da oficina de Flipbook o visitante é convidado a experimentar e conhecer os princípios e técnicas do cinema de animação. Quando: 24 e 27 de Janeiro (quarta-feira e sábado) Horário: 14h às 16h Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx Público: adultos e crianças acima de 10 anos Observação: limite de 10 vagas, inscrições no local por ordem de chegada

    - Jogo: Memorizando a Biodiversidade
    No Jogo “Memorizando a Biodiversidade” a fauna e a flora do Inhotim são os personagens principais. Crianças e adultos serão convidados a conversar sobre espécies botânicas que são destaques no paisagismo dos jardins do Inhotim, além de exemplares da Mata Atlântica e Cerrado, pertencentes à RPPN Inhotim. A fauna silvestre e doméstica também será ponto de partida para as discussões.
    Horário: 10h às 16h (de terça à sexta-feira) e 10h às 17h (aos sábados, domingos e feriados)
     Local: Estação Educativa para Visitantes (Centro de Educação e Cultura Burle Marx)

     - Visita Temática: Diversidade e Representatividade na Arte Contemporânea
    A história das produções artísticas é marcada até certo ponto, por uma homogeneidade no que se refere aos sujeitos que as produziram, e as linguagens que utilizaram. Por séculos a arte europeia foi muito influente sobre a civilização ocidental, com as suas pinturas em quadros ou em monumentos, produzidas principalmente por homens. A partir do século XX os Estados Unidos ascendem como potência mundial, tornando-se também uma grande referência para as produções artísticas, mas com pouca alteração no que se refere a um cenário ainda dominado por artistas homens brancos. Essa bipolarização de influências que desconsiderou artistas de outros países, suas etnias e gênero, passa por um processo de dissolução, uma vez que o movimento contemporâneo tem uma capacidade muito maior de descentralizar e incluir, além  da diversificação das técnicas de produção. A temática “Diversidade e Representatividade na Arte Contemporânea” propõe ao visitante uma reflexão sobre a importância do acervo permanente do Inhotim, que é composto por 50% de artistas latino-americanos e além de possuir 30% de artistas mulheres. Apesar dos percentuais serem interessantes, falta representatividade?
    Quando: 01 de janeiro a 28 de fevereiro (quartas, sábados, domingos e feriados)
    Horário: 10h30 às 12h Local:  saída da Recepção
    Público:  livre Observação:  limite de 25 vagas

    – Visita Panorâmica
    Conversa e reflexão sobre o espaço do Inhotim e seus acervos, explorando as várias possibilidades de percurso. Quando: de terça a domingo e feriados .
    Horário: 11h e 14h
    Local: saída da Recepção
    Público: livre Observação: limite de 25 vagas

    Te esperamo aqui! 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    05 de dezembro de 2017

    Redação Inhotim


    botânicabrumadinhocomunidadeeducaçãoinhotimmeio ambiente

    Leitura: 7 min

    Inhotim na vanguarda da conservação ambiental

    Inhotim na vanguarda da conservação ambiental

    Representantes da sociedade civil, setor público, academia e instituições globais se reuniram no Instituto Inhotim entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro para debater os desafios da preservação ambiental. O Seminário Internacional Mudança Climática e Biodiversidade: Ideias e Atitudes que Fazem Diferença apresentou ao público ações inspiradoras que contribuem para o desenvolvimento sustentável. Foi o primeiro evento internacional sobre o tema realizado pela Instituição.

    Um dos palestrantes do seminário, o diretor do Jardim Botânico do Inhotim, Lucas Sigefredo, abordou as ações ambientais do Instituto e conclamou o público a refletir sobre a mudança global do clima e agir localmente. Durante sua fala, Lucas pontuou as principais funções do Inhotim enquanto Jardim Botânico, um lugar que é centro de concentração e disseminação do conhecimento. “Temos uma importância fundamental no cuidado com a biodiversidade e com os recursos naturais, além da reestruturação e reorganização do espaço de forma sustentável. Esse tipo de encontro é uma oportunidade de discutir sobre temas da mais alta relevância e convidar as pessoas para uma atitude individual, coletiva ou institucional para conservar a biodiversidade, disse.

    Botânico consultor do Kew Garden e Eden Project, o britânico Sir Ghillean Prance mostrou a importância das grandes coleções de plantas dos jardins botânicos para auxiliar e promover ações que combatam a mudança climática.“É responsabilidade dos jardins botânicos trabalharem esse tema, senão, não haverá plantas para o futuro”, advertiu Prance, chamando atenção para a combinação entre arte e natureza no Instituto. “O Inhotim é incrível e estou muito feliz por estar aqui, conhecendo este lugar! É interessante como vocês articulam Jardim Botânico e o acervo artístico, conseguindo transmitir uma mensagem de conservação do meio ambiente. Manter um jardim bonito como esse é fruto de um esforço muito grande dos trabalhadores”.

    Moderando o painel “Interface entre ciência, tecnologia e tomada de decisão pública e privada para o combate à mudança climática”, o assessor sênior do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Haroldo Machado Filho, também participou do evento. O especialista explicou que as transformações do clima estão diretamente associadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. “Colocar a questão da mudança do clima mais próxima do cidadão comum e dos impactos no processo de desenvolvimento, em relação à mudança do clima, biodiversidade, edução pobreza, saúde, educação, é garantir que os 17 ODS, que são integrados e indivisíveis, sejam implementados”, afirmou.

    Já Adriano Oliveira, diretor do Departamento de Monitoramento, Apoio e Fomento de Ações em Mudança do Clima do Ministério do Meio Ambiente, observou que é importante tomar inciativas como o seminário para compartilhar o que está sendo feito pelas diversas instituições. Segundo ele, o ministério tem o desafio de recuperar 12 milhões de hectares por meio de reflorestamento e restauração de vegetação nativa.“O Inhotim é um grande exemplo para as políticas públicas e ações similares que têm que ser realizadas pelo Brasil”, disse Oliveira. 

    O diretor destacou o projeto do Inhotim financiado pelo Fundo Clima, que prevê a criação de uma área protótipo para sequestro de carbono em terrenos degradados pela mineração a partir de plantas nativas: “Temos que tomar iniciativas, a exemplo deste seminário, como uma forma de divulgar projetos”. O Fundoclima é um projeto de extrema importância para o Ministério. Como tem centralidade na recuperação de área degradada por meio de reflorestamento, torna-se um exemplo importante de como o Brasil pode agir, diante dos compromissos assinados no acordo de Paris, por meio da Contribuição Nacionalmente Determinada (CND)”, acrescentou Oliveira.

    O seminário também recebeu a presença da diretora executiva da Forest Stewardship Council (FSC), que falou sobre os problemas e soluções palpáveis para se conseguir combater o uso ilegal das madeiras nas florestas brasileiras. “O selo FSC garante que todo o processo de produção foi feito pensando em preservar a vida das florestas. O cidadão comum pode contribuir adquirindo produtos certificados, investindo na certificações de suas operações, promovendo a certificação FSC e divulgando seu conceito”

    Os três dias de seminário foram proporcionaram momentos de troca de conhecimento, expandindo as possibilidades e alternativas para novas ideias de conservação. Desde sua abertura ao público, em 2006, o Inhotim tem contribuído para a conservação da biodiversidade, sendo reconhecida em 2010 como Jardim Botânico, tornando-se um agente de sensibilização e educação sobre as temáticas de mudança climática, sustentabilidade, proteção e conservação da flora e fauna locais. O Instituto possui, ainda, cerca de 4.500 espécies botânicas e uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), com 249 hectares.

    Por meio de suas práticas de combate à mudança do clima, o Inhotim está em consonância com a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Os trabalhos ambientais e de pesquisa desenvolvidos no Instituto são frutos de parcerias com instituições de renome internacional, incluindo o PNUD.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    16 de novembro de 2017

    Redação Inhotim


    Leitura: 5 min

    Nota de esclarecimento

    Nota de esclarecimento

    A propósito da nota divulgada hoje pelo Ministério Público Federal (MPF), replicada, na íntegra ou em partes, por diversos veículos de comunicação, o Instituto Inhotim esclarece que é uma instituição sem fins lucrativos, qualificada pelo governo estadual como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), sem ligação com as empresas de Bernardo Paz, não respondendo ou participando, portanto, de nenhuma questão de âmbito pessoal que o envolva.

    Para realização de suas ações socioeducativas e manutenção de seus acervos botânico e artístico, o Instituto é mantido com recursos de doações de pessoas físicas e jurídicas, de maneira direta e incentivada, com amparo na Lei Federal e Estadual de Incentivo à Cultura.

    O Inhotim reforça, por oportuno, que todas as contas da instituição são públicas e que passam por criteriosa prestação junto ao Ministério da Cultura, além de serem submetidas a um rigoroso processo de auditoria realizado pela empresa britânica Ernst & Young, ambos em periodicidade anual.

    No anseio de esclarecer os fatos e evitar possíveis equívocos acerca de organizações distintas, e de diferentes naturezas jurídicas, o Instituto Inhotim reforça seu compromisso com a sociedade, com seus parceiros e com a comunidade em seu entorno, na busca incessante pelo desenvolvimento humano através da arte e da botânica.

    Clarification Note

    Regarding the statement issued by the Brazilian Public Prosecutor’s Office, printed in full or in part by various media outlets, Inhotim would like to make clear that it is a non-profit institution, qualified by the state government as a Civil Society Organization of Public Interest (Oscip), independent of the companies of Bernardo Paz.

    In order to carry out its socio-educational programs and maintain its botanical and artistic collections, the Institute is financed through direct contributions by individual patrons as well as legal foundations, with the support of the Federal and State Law of Incentive to Culture.

    Inhotim would like to underscore that all its accounts are public and undergo careful review by the Ministry of Culture, in addition to being rigorously audited by the British company Ernst & Young, both on an annual bases.

    The Inhotim Institute remains committed to society, its partners and the surrounding community, in the unceasing pursuit of human development through the art and botany.

    Nota de aclaración

    Respecto a la nota emitida por el Ministerio Público Federal de Brasil, replicada en su totalidad o en parte por varios vehículos de comunicación, el Instituto Inhotim aclara que es una institución sin fines de lucro, calificada por el gobierno estatal como una Organización de la Sociedad Civil de Interés Público (Oscip), sin conexión con las empresas de Bernardo Paz, no respondiendo o participando, por lo tanto, de cualquier asunto de alcance personal que lo rodee.

    Para llevar a cabo sus actividades socioeducativas y mantener sus colecciones botánica y artística, el Instituto cuenta con recursos de donaciones de personas físicas y jurídicas, de manera directa y incentivada, con el apoyo de la Ley Federal y Estatal de Incentivos a la Cultura.

    Inhotim refuerza, según corresponda, que todas las cuentas de la institución son públicas y se someten a una cuidadosa revisión por parte del Ministerio de Cultura, además de ser rigurosamente auditadas por la compañía británica Ernst & Young, ambas en un período anual.

    El Instituto Inhotim refuerza su compromiso con la sociedad, sus patrocinadores y la comunidad circundante, en la búsqueda incesante del desarrollo humano a través del arte y la botánica.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    25 de outubro de 2017

    Redação Inhotim


    Leitura: 6 min

    Seminário Internacional sobre Mudança Climática e Biodiversidade

    Seminário Internacional sobre Mudança Climática e Biodiversidade

    O Instituto Inhotim realiza o Seminário Internacional Mudança Climática e Biodiversidade: Ideias e Atitudes que Fazem Diferença, que acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro no Inhotim.

    Serão três dias de uma programação imperdível, que conta com a presença de grandes nomes nacionais e internacionais em palestras e painéis de discussão acerca de uma das principais ameaças à biodiversidade: a mudança climática. Sir Ghillean Prance, botânico consultor do Kew Garden e Eden Project (UK); Ernst Gotsch, geneticista, agricultor e pesquisador, criador do conjunto de princípios e técnicas que compõem a Agricultura Sintrópica; Harri Lorenzi, engenheiro agrônomo e botânico idealizador do Jardim Botânico Plantarum (SP); Thelma Krug, vice-presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC); Thomas Lovejoy, membro sênior da ONU e professor do departamento de Ciência e Política Ambiental da Universidade George Mason (videoconferência); Germano Luiz Gomes Vieira, secretário-adjunto de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado de Minas Gerais; Sandra Paulsen, técnica de planejamento e pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA); e Everton Lucero, secretário de Mudança do Clima e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, são alguns dos palestrantes que participarão do evento.

    O Seminário Internacional recebe agentes do setor público, da iniciativa privada e da sociedade civil, estudantes, pesquisadores e gestores ambientais para refletir e debater sobre os desafios para a conservação da biodiversidade e o combate à mudança climática. Percebendo a importância de sensibilizar o público em relação à sua contribuição individual e coletiva para a conservação ambiental, o evento pretende apresentar ideais e ações inspiradoras que contribuem para o desenvolvimento sustentável.

    Confira abaixo a programação completa:

    29/11

    CREDENCIAMENTO (A partir das 9h30)
    VISITA AO INHOTIM (09h30 às 14h30)
    Incluindo visitas mediadas exclusivas de 10h30 às 12h30
    APRESENTAÇÃO DE O GRIVO (14h30 às 15h)
    ABERTURA (15h às 15h30)
    Antonio Grassi – Instituto Inhotim
    Helvécio Miranda Magalhães – Secretaria de Estado de Planejamento de Minas Gerais
    Daniel Hilário – Secretaria de Meio Ambiente de Brumadinho
    PALESTRA MAGNA (15h30 às 17h)
    Prof. Sir Ghillean Prance – Eden Project

    30/11

    PAINEL 1 (10h30 às 13h) – “Mudança Climática, biodiversidade, capital natural e os esforços dos jardins botânicos e instituições congênres”
    Este encontro vai evidenciar a necessidade de conservação da biodiversidade com foco nas plantas, para a redução dos impactos da mudança climática, e discutir os serviços ambientais prestados pela natureza, assim como evidenciar o importante papel desempenhado por um jardim botânico no âmbito da pesquisa, conservação e manutenção de recurso genético e educação.
    Harri Lorenzi – Jardim Botânico Plantarum (SP)
    Carlos Cordero Vargas – Jardim Botânico do Centro Agronômico Tropical de Pesquisa e Educação (Costa Rica)
    Lucas Sigefredo – Jardim Botânico Inhotim (MG)
    Renato Crespo – Jardim Botânico do Rio de Janeiro
    Moderador: Fábio Scarano – Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável

    PAINEL 2 (14h30 às 17h) – “Mudança Climática, biodiversidade, capital natural e os esforços dos jardins botânicos e instituições congêneres”
    Os painelistas convidados vão apresentar experiências de distintos atores do setor privado que contribuem para a adaptação climática, como as soluções locais para a minimização dos efeitos adversos da mudança climática.
    Ernst Götsch, criador da agricultura sintrópica
    Aline Tristão, FSC
    Rogério Basso, BID Invest
    Moderador: André Costa Nahur, WWF Brasil

    01/12
    PAINEL 3 (10h30 às 13h) – “Interface entre ciência, tecnologia e tomada de decisão pública e privada para o combate à mudança climática”
    Os participantes vão abordar o papel da ciência nos processos de tomada de decisão dos setores público e privado para o combate à mudança climática
    Thomas Lovejoy, FNU [por videoconferência]
    Prof. Sir Ghillean Prance – Eden Projetc
    Thelma Krug – IPCC
    Dra. Julia Knihgts – Diretora de Ciência e Inovação do Reino Unido para a America Latina (Argentina, Brasil e Chile)
    Rodrigo Ferreira – Plantar Carbon
    Moderador: Haroldo de Oliveira Machado Filho, PNUD

    PAINEL 4 (14h30 às 17h) – “Setor público como promotor do desenvolvimento sustentável”
    Neste encontro, os convidados compartilham experiências construídas nas distintas esferas de Estado para a promoção do desenvolvimento sustentável
    Germano Luiz Gomes – secretário adjunto de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado de Minas Gerais
    Sandra Paulsen – IPEA
    Adriano Santhiago de Oliveira – Ministério do Meio Ambiente
    Moderador: José Carlos Carvalho – Instituto Inhotim

    ENCERRAMENTO (17h30 às 17h10)
    Antonio Grassi – Instituto Inhotim
    APRESENTAÇÃO DA ESCOLA DE CORDAS (17h10)
    COQUETEL DE ENCERRAMENTO (17h30 às 18h10)

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    Página 10 de 35« Primeira...89101112...2030...Última »