• EN
  • 01 de novembro de 2018

    Redação Inhotim


    botânicacomunidadeinhotimmeio ambiente

    Leitura: 3 min

    Carinho e cuidado nos jardins do Inhotim

    Carinho e cuidado nos jardins do Inhotim

    comum encontrar flores pelo Inhotim durante todo o ano, não só na primavera. São diferentes formas, cores e cheiros que enriquecem a experiência no Instituto. No entanto, a estação marca o início de outro ciclo: o trabalho das equipes de propagação de espécies botânicas. Funcionárias e funcionários ficam parte do dia no Ateliê do Viveiro Educador. Em outra, percorrem o Inhotim em busca de sementes e de plantas que podem ser multiplicadas.

    Dona Gracinha, funcionária do Inhotim desde 2009, corta os galhos de crossandra. Com cuidado e carinho, ela pega os galhos e os junta na mão. Retira as folhas e os reduz em pequenos pedaços para serem plantados em vasinhos na estufa. “Todos os dias eu coloco as mãos na terra. As plantas que ficam em volta de mim são minhas amigas. A gente conversa, a gente se entende! Trato elas com o maior carinho. Deve ser por isso que há nove anos eu não preciso mais tomar remédio. É saúde”, afirma.

    Além do corte dos galhos, a equipe também percorre os jardins em busca de sementes. O jardineiro Frank Ferreira fica de olho no chão e na copa das árvores para coletá-las. Também adota estratégias para obter maior quantidade. “Deixamos sombrites em alguns locais para incrementar a coleta. Em outros, há pequenos vasos onde as sementes já caem. Isso facilita nosso trabalho”.

    Quem também tem os olhos bem treinados é o Walter da Silva. O jardineiro parece mergulhar em meio às grandes folhas de antúrios, em busca de sementes. As dessa espécie são envoltas por bolinhas vermelhas, que as protegem. “Temos que fazer esse trabalho respeitando a natureza. Afinal, alguns bichinhos comem as sementes”.

    Todo o material coletado vai para a estufa. As sementes germinam em pequenos vasos e se desenvolvem no local. Dependendo da espécie, a planta é encaminhada para o sombrite, onde se adapta às condições climáticas ou vai direto para os jardins. Atualmente, o Inhotim tem cerca de 4.500 espécies botânicas para enriquecer a sua experiência e o conhecimento sobre plantas nativas e exóticas. Aproveite nossas visitas mediadas gratuitas que acontecem todos os dias ou a visita com o engenheiro agrônomo Juliano Borin que ocorre aos segundos sábados do mês.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    13 de junho de 2018

    Redação Inhotim


    botânicainhotimmeio ambiente

    Leitura: 2 min

    Raul Cânovas volta ao Inhotim para curso de paisagismo ao lado de Juliano Borin

    Raul Cânovas volta ao Inhotim para curso de paisagismo ao lado de Juliano Borin

    Nos dias 21 e 22 de julho o Inhotim receberá o 3º Curso de Paisagismo e Visita Técnica com o argentino Raul Cânovas, que realizará a atividade ao lado do engenheiro agrônomo do Inhotim, Juliano Borin. O especialista  tem mais de cinquenta anos de experiência no setor e preparou um conteúdo exclusivamente pensado para os jardins do Parque, onde vivem espécies tão diversas, com diferentes complexidades. O curso é composto por aulas e visitas técnicas nas áreas verdes do Instituto e tem como objetivo ensinar os fundamentos básicos do paisagismo tropical e de sua flora.

    Durante as aulas no Teatro do Inhotim, as caminhadas pelo Parque e as conversas com os especialistas, quem participar terá a chance de reunir ideias e conceitos essenciais para executar projetos com as próprias mãos. A atividade vai de 9h30 às 17h30 nos dois dias e busca reunir o conhecimento de Cânovas com paisagismos de diversas partes do mundo com a intimidade de Juliano Borin com as plantas do Inhotim. O conteúdo é destinado a todos e todas que tenham interesse pelo universo botânico, sem necessidade de ter algum tipo de experiência na área.

    Sua inscrição pode ser feita diretamente pelo site oficial do paisagista. Existem descontos para Amigos do Inhotim, associados da Associação Nacional de Paisagismo, maiores de 60 anos e estudantes. Quem participar, terá incluído no valor pago a entrada para o Inhotim, os lanches durante o passeio e o certificado digitalizado.

    Faça sua inscrição e participe!

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    30 de maio de 2018

    Redação Inhotim


    botânicaeducaçãoinhotimmeio ambientevisita

    Leitura: 13 min

    Plantas nativas do Inhotim são tema da Semana do Meio Ambiente

    Plantas nativas do Inhotim são tema da Semana do Meio Ambiente

    Entre os dias 5 e 10 de junho, o Inhotim promove a Semana do Meio Ambiente (SMA), que terá como ponto de partida as coleções de plantas nativas cultivadas e preservadas no Instituto, além da apresentação de boas práticas voltadas para a conservação da biodiversidade local e global. Entre outras atividades, a programação para o público inclui distribuição de mudas nativas, apresentação da Escola de Cordas Inhotim, visitas mediadas, experiências audiovisuais, jogos e rodas de conversa.

    Para 2018, a equipe técnica do Jardim Botânico Inhotim fez uma seleção inédita de plantas nativas de seu acervo, que serão utilizadas nas diversas atividades ofertadas ao público. Ao longo da programação, os participantes poderão levar para casa mudas de ipê-branco, palmeira-juçara e tamboril. Serão disponibilizadas 250 mudas produzidas no Viveiro Inhotim a partir de sementes das árvores matrizes que compõem o acervo botânico do Instituto.

    Para o diretor do Jardim Botânico, Lucas Sigefredo, a Semana do Meio Ambiente, realizada anualmente, reafirma o compromisso do Inhotim com a conservação da biodiversidade: “O evento é um convite ao público para se engajar nas questões ambientais. Entender o papel das plantas nativas é fundamental no processo de sensibilização e de engajamento individual e coletivo. Na medida em que as pessoas conhecem e se aproximam do meio que as circundam, elas atribuem valor e cuidam. Nesse contexto, o Inhotim é um importante espaço de troca, reflexão e inspiração”.

    Localizado na cidade de Brumadinho (MG), o Inhotim está inserido no bioma Mata Atlântica com encraves de Cerrado – dois biomas com alta riqueza biológica. Além das plantas exóticas (provenientes de fora da flora original local), o Instituto abriga um relevante acervo botânico com milhares de espécies nativas, incluindo plantas raras, endêmicas e ameaçadas de extinção. As espécies são usadas pela equipe do Jardim Botânico e pelo Educativo Inhotim para atividades de educação, pesquisa, conservação e lazer.

    Confira a programação completa da SMA:

    Visita mediada: Nos jardins do Inhotim, paisagismo e coleção botânica

    Os admiradores da natureza vão conhecer de maneira mais aprofundada as principais famílias botânicas do Inhotim, com foco nas plantas nativas, incluindo as raras, endêmicas e as ameaçadas de extinção. O convite é à experimentação dos singulares jardins do Instituto de maneira exclusiva, percorrendo também espaços que não são abertos à visitação livre, como o epifitário e a estufa equatorial. Os participantes e mediador vão conversar sobre paisagismo, história dos espaços botânicos do Inhotim, manutenção dos jardins, produção de plantas e a aplicabilidade de algumas técnicas no dia a dia. A visita é mediada pelo engenheiro agrônomo do Inhotim, Juliano Borin, e possui duração de 2h30.

    Quando: 09/06 (sábado)
    Horário: 14h às 16h30
    Local: Saída da Recepção
    Vagas limitadas: 25 vagas – R$ 40 por pessoa.
    Inscrição prévia: Na Recepção, no dia da atividade, entre 9h30 e 14h.

    Ativação do Jardim Temático Veredas
    Nesta atividade, os visitantes são convidados a participarem de uma ação em um dos sete jardins temáticos do Instituto, o Jardim Veredas. No espaço, é possível conhecer espécies típicas desta fitofisionomia do Cerrado, as Veredas, como a Mauritia flexuosa, popularmente conhecida como buriti, que é uma das maiores palmeiras brasileiras existentes. Referência na literatura brasileira, as Veredas também são importantes pelas relações socioambientais estabelecidas com as comunidades. As populações locais se refugiam nesses espaços de atalho e abrigo da fauna e fazem uso dos recursos naturais presentes. A proposta educativa é, então, a criação de um “atalho” para que os visitantes ativem suas percepções sensoriais, integrando-se aos elementos sutis que se fazem presentes nesse jardim do Inhotim.

    Quando: 05, 07, 12 e 14 de junho (terças e quintas)
    Horário: 14h às 16h
    Local: Jardim Temático Veredas (J5, no mapa)
    Público: livre

    Visita Temática – Syagrus
    O Jardim Botânico Inhotim tem uma importante coleção composta por grande variedade de plantas brasileiras, além de espécies originárias dos cinco continentes. A Visita Temática convida o público a conhecer a expressiva coleção das palmeiras cultivadas e salvaguardadas do gênero Syagrus, que é bastante representativo dentro do acervo botânico do Inhotim, incluindo algumas espécies presentes na lista vermelha de extinção. A maioria das espécies encontra-se sob ameaça pela expansão da agricultura, especialmente as de pequeno porte, comuns nos cerrados.

    Quando: 06 a 29 de junho (quartas, sábados, domingos e feriados)
    Horário: 10h30
    Local: Saída da Recepção
    Público: livre, 25 vagas, inscrição no local a partir das 10h.

    Estação Educativa para Visitantes – Experiência Macro-Micro
    Produzida originalmente para a exposição internacional “Inhotim: at the Crossroads of Glocal Change” (Inhotim: na encruzilhada da mudança glocal), realizada pelo Inhotim em Washington (EUA), em 2017, este trabalho será disponibilizado na Estação Educativa. O jogo de aproximação do macro ao micro revela novas texturas, cores e formas. Propõe uma reflexão sobre o outro, sobre o todo e sobre a vastíssima diversidade do nosso planeta. Uma trilha sonora produzida pelo grupo O Grivo acompanha a atividade. Além desse trabalho, estarão em exposição lâminas de espécies nativas do Inhotim, algumas ameaçadas de extinção, disponibilizadas pelo Jardim Botânico, para observação em microscópio. Curiosidades sobre a evolução das espécies botânicas e suas estruturas adaptativas serão abordadas. Os visitantes também serão convidados a interagir no mural de experiências presente na Estação, respondendo à pergunta: “qual seu papel individual e coletivo para a conservação da biodiversidade?”.

    Quando: 05 a 09 de junho (terça a sábado)
    Horário: 10h às 16h (terça a sexta) e 10h às 17h (sábado)
    Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: livre

    Experiência de realidade virtual – Inhotim 360°
    Produzida originalmente para a exposição internacional “Inhotim: at the Crossroads of Glocal Change”, a experiência “Inhotim 360°” será remontada na Biblioteca do Inhotim. Experimentar as paisagens de Inhotim é um convite ao deleite dos sentidos. O exercício da percepção através de um passeio virtual em 360 graus pelos jardins e remanescentes de mata nativa nos incita a buscarmos mais conhecimento e intimidade com a natureza que nos cerca e nos compõe. Uma trilha sonora produzida pelo grupo O Grivo acompanha a atividade. Equipamentos utilizados: óculos de realidade virtual e fones de ouvido sem fio.

    Quando: 01 a 30 de junho (de terça a sábado)
    Horário: 09h30 às 16h30
    Local: Biblioteca Inhotim
    Público: livre

    Apresentação Escola de Cordas Inhotim
    Criada em 2012, a Escola de Cordas Inhotim oferece a oportunidade de aprendizado musical em instrumentos de corda – violino, viola de arco, violoncelo e contrabaixo acústico. Sua realização tem evidenciado a vocação musical de Brumadinho e ampliado o leque de experiências e referências musicais dos alunos, que têm entre 10 e 18 anos. Na SMA, sob regência do maestro César Timóteo, os alunos apresentarão um repertório variado, incluindo composições de cunho didático e pedagógico trabalhadas durante o processo de formação musical dos alunos. A Escola de Cordas tem o patrocínio exclusivo da Vale por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

    Quando: 08 de junho (sexta-feira)
    Horário: 15h
    Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: livre

    Acolhimento especial Inhotim para Todxs
    O Inhotim para Todxs é um projeto de democratização do acesso que ocorre desde 2011 e já atendeu a mais de 83 mil pessoas. Grupos que desenvolvem projetos sociais têm isenção da entrada e um acolhimento realizado pela equipe do Educativo. Durante a SMA, no momento do acolhimento, os participantes do projeto poderão conhecer mais sobre a árvore tamboril, uma espécie nativa presente nos jardins do Inhotim e também refletir sobre a importância dos jardins botânicos para a conservação das espécies nativas.

    Quando: 05 a 10 de junho (terça a domingo)
    Horário: 9h30 ou 14h
    Local: debaixo da árvore tamboril (B1, no mapa)
    Público: participantes do projeto Inhotim para Todxs

    Jogo Memorizando a Biodiversidade
    No jogo “Memorizando a Biodiversidade”, a fauna e a flora do Inhotim são os personagens principais. Crianças e adultos serão convidados a conversar sobre espécies botânicas que são destaque no paisagismo dos jardins do Inhotim, além de exemplares da Mata Atlântica e Cerrado, pertencentes à RPPN Inhotim. A fauna silvestre e doméstica também será ponto de partida para as discussões.

    Quando: 05 a 10 de junho (terça a domingo)
    Horário: 9h30 às 16h30 (de terça à sexta-feira) e 9h30 às 17h30 (aos sábados, domingos e feriados) Local: Recepção do Viveiro Inhotim
    Público: livre

    Biblioteca: Centro de Referências
    Em consonância com a SMA em Inhotim, a Biblioteca preparou o Centro de Referências para a realização de pesquisas e consultas acerca dos temas e famílias botânicas trabalhadas nas programações da semana. Visitantes, pesquisadores e colaboradores do Instituto podem ter acesso aos materiais. Dentre as temáticas em destaque, encontram-se bibliografias sobre os dois biomas desta região de Minas Gerais, Mata Atlântica e Cerrado; e também livros sobre algumas das principais coleções botânicas do Instituto, sendo elas as aráceas, arecaceaes (palmeiras) e orquídeas.

    Quando: 01 a 30 de junho (de terça a sábado)
    Horário: 09h30 às 16h30
    Local: Biblioteca Inhotim
    Público: livre

    Estação Educativa Itinerante
    A Estação Educativa Itinerante é uma plataforma educativa que visa a compartilhar as experiências de visitação entre os visitantes e educadores do Instituto por meio da ocupação dos espaços do Inhotim. Além de contribuir nos trajetos de visitação do público livre, as Estações promovem uma pesquisa de materiais presentes nos acervos em conjunto com as práticas pedagógicas da educação. Durante a programação da SMA, a Estação Itinerante disponibiliza um acervo bibliográfico sobre plantas nativas. Participe e conheça curiosidades sobre algumas espécies nativas presentes no Inhotim.

    Quando: 06 de junho (quarta-feira)
    Horário: 10h às 16h
    Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: livre

    Venha participar da Semana do Meio Ambiente!
    Para comprar seu ingresso online e evitar filas, clique aqui! 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    25 de maio de 2018

    Redação Inhotim


    botânicaeducaçãoinhotimmeio ambiente

    Leitura: 4 min

    É tempo de observar e trocar figurinhas!

    É tempo de observar e trocar figurinhas!

    “A observação de aves é como completar um álbum de figurinhas: a pessoa vai a um local específico, sabendo quais espécies vai observar e marca os pássaros que avistou ou fotografou.” É assim que o biólogo Eduardo Franco define a atividade de observação de pássaros, que aconteceu no Inhotim, durante o lançamento do projeto #vempassarinharMG, nesta quinta-feira (24) no Inhotim. Para Eduardo Franco, o Instituto é um ótimo local para trocar essas figurinhas. “Aqui existem cerca de 300 espécies de pássaros na área de visitação e na sua Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN). É uma quantidade bem representativa, já que, no estado de Minas Gerais, existem cerca de 800”, disse.

    O grupo de observadores percorreu os jardins do Instituto e parou em alguns pontos, como perto das obras Imensa (1982-2002) e Invenção da cor, Penetrável Magic Square # 5, De Luxe (1977).  Cada parada, que durou cerca de 20 minutos, proporcionou uma experiência multissensorial: ouvir o canto dos pássaros, sentir o cheiro dos jardins e tocar nas plantas, além de ver as obras de arte, as aves e as fotos recém tiradas pelos participantes.

    Durante o passeio, cenas inesperadas foram flagradas por quem participava da ação, como o acasalamento de dois beija-flores e a escuta do canto de diferentes espécies que habitam os espaços botânicos do Parque. Para muitas pessoas, a oportunidade de ver de perto as espécies foi especial. “Frequento o Inhotim com grupos de turismo e não me canso do paisagismo. Me deixa emocionado”,  disse Fred Crema, um dos integrantes do grupo.

    Eduardo Franco completa: “A observação de aves é experiência que vai além do visual, pois é uma oportunidade de conhecer o comportamento do animal, como a interação do mesmo com o seu habitat e a sua alimentação. Essa imersão na natureza torna a atividade encantadora”.

    Para o diretor de Jardim Botânico do Inhotim, Lucas Sigefredo, o Museu é um espaço que constitui um refúgio ímpar para fauna e flora da região, proporcionando a observação de pássaros e uma experiência que ativa várias sensações.

    “O projeto #vempassarinharMG representa mais uma importante ação visando ao despertar de uma sensibilização ambiental. É com muito carinho que recebemos este evento, que reforça a vocação do Inhotim como um espaço para realização de estudos, pesquisas e para compartilhar conhecimento e experiências”.

    #VemPassarinharMG
    Com o objetivo de fomentar a visitação nos Parques Naturais de Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG), em parceria com o Instituto Estadual de Florestas (IEF), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ecoavis e as empresas DestinosMG e Maritaca Expeditions, iniciaram em 2017 a 1ª edição do projeto #vempassarinharMG.

    A passarinhada do #vempassarinharMG, como é chamada pelos observadores, inclui caminhadas pelas trilhas das unidades de conservação selecionadas e a presença de um convidado especial para ministrar uma palestra intitulada “Papo de Passarinho”, visando promover a observação e o monitoramento de aves como ferramentas de conscientização e conservação das espécies e seus habitats. Confira aqui o calendário da ação. 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    05 de dezembro de 2017

    Redação Inhotim


    botânicabrumadinhocomunidadeeducaçãoinhotimmeio ambiente

    Leitura: 7 min

    Inhotim na vanguarda da conservação ambiental

    Inhotim na vanguarda da conservação ambiental

    Representantes da sociedade civil, setor público, academia e instituições globais se reuniram no Instituto Inhotim entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro para debater os desafios da preservação ambiental. O Seminário Internacional Mudança Climática e Biodiversidade: Ideias e Atitudes que Fazem Diferença apresentou ao público ações inspiradoras que contribuem para o desenvolvimento sustentável. Foi o primeiro evento internacional sobre o tema realizado pela Instituição.

    Um dos palestrantes do seminário, o diretor do Jardim Botânico do Inhotim, Lucas Sigefredo, abordou as ações ambientais do Instituto e conclamou o público a refletir sobre a mudança global do clima e agir localmente. Durante sua fala, Lucas pontuou as principais funções do Inhotim enquanto Jardim Botânico, um lugar que é centro de concentração e disseminação do conhecimento. “Temos uma importância fundamental no cuidado com a biodiversidade e com os recursos naturais, além da reestruturação e reorganização do espaço de forma sustentável. Esse tipo de encontro é uma oportunidade de discutir sobre temas da mais alta relevância e convidar as pessoas para uma atitude individual, coletiva ou institucional para conservar a biodiversidade, disse.

    Botânico consultor do Kew Garden e Eden Project, o britânico Sir Ghillean Prance mostrou a importância das grandes coleções de plantas dos jardins botânicos para auxiliar e promover ações que combatam a mudança climática.“É responsabilidade dos jardins botânicos trabalharem esse tema, senão, não haverá plantas para o futuro”, advertiu Prance, chamando atenção para a combinação entre arte e natureza no Instituto. “O Inhotim é incrível e estou muito feliz por estar aqui, conhecendo este lugar! É interessante como vocês articulam Jardim Botânico e o acervo artístico, conseguindo transmitir uma mensagem de conservação do meio ambiente. Manter um jardim bonito como esse é fruto de um esforço muito grande dos trabalhadores”.

    Moderando o painel “Interface entre ciência, tecnologia e tomada de decisão pública e privada para o combate à mudança climática”, o assessor sênior do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Haroldo Machado Filho, também participou do evento. O especialista explicou que as transformações do clima estão diretamente associadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. “Colocar a questão da mudança do clima mais próxima do cidadão comum e dos impactos no processo de desenvolvimento, em relação à mudança do clima, biodiversidade, edução pobreza, saúde, educação, é garantir que os 17 ODS, que são integrados e indivisíveis, sejam implementados”, afirmou.

    Já Adriano Oliveira, diretor do Departamento de Monitoramento, Apoio e Fomento de Ações em Mudança do Clima do Ministério do Meio Ambiente, observou que é importante tomar inciativas como o seminário para compartilhar o que está sendo feito pelas diversas instituições. Segundo ele, o ministério tem o desafio de recuperar 12 milhões de hectares por meio de reflorestamento e restauração de vegetação nativa.“O Inhotim é um grande exemplo para as políticas públicas e ações similares que têm que ser realizadas pelo Brasil”, disse Oliveira. 

    O diretor destacou o projeto do Inhotim financiado pelo Fundo Clima, que prevê a criação de uma área protótipo para sequestro de carbono em terrenos degradados pela mineração a partir de plantas nativas: “Temos que tomar iniciativas, a exemplo deste seminário, como uma forma de divulgar projetos”. O Fundoclima é um projeto de extrema importância para o Ministério. Como tem centralidade na recuperação de área degradada por meio de reflorestamento, torna-se um exemplo importante de como o Brasil pode agir, diante dos compromissos assinados no acordo de Paris, por meio da Contribuição Nacionalmente Determinada (CND)”, acrescentou Oliveira.

    O seminário também recebeu a presença da diretora executiva da Forest Stewardship Council (FSC), que falou sobre os problemas e soluções palpáveis para se conseguir combater o uso ilegal das madeiras nas florestas brasileiras. “O selo FSC garante que todo o processo de produção foi feito pensando em preservar a vida das florestas. O cidadão comum pode contribuir adquirindo produtos certificados, investindo na certificações de suas operações, promovendo a certificação FSC e divulgando seu conceito”

    Os três dias de seminário foram proporcionaram momentos de troca de conhecimento, expandindo as possibilidades e alternativas para novas ideias de conservação. Desde sua abertura ao público, em 2006, o Inhotim tem contribuído para a conservação da biodiversidade, sendo reconhecida em 2010 como Jardim Botânico, tornando-se um agente de sensibilização e educação sobre as temáticas de mudança climática, sustentabilidade, proteção e conservação da flora e fauna locais. O Instituto possui, ainda, cerca de 4.500 espécies botânicas e uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), com 249 hectares.

    Por meio de suas práticas de combate à mudança do clima, o Inhotim está em consonância com a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Os trabalhos ambientais e de pesquisa desenvolvidos no Instituto são frutos de parcerias com instituições de renome internacional, incluindo o PNUD.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    Página 1 de 612345...Última »