Leitura: 7 min

Inhotim inaugura novas exposições temporárias

Inhotim inaugura novas exposições temporárias

Quem visitar o Inhotim a partir de 1º de outubro vai poder conferir novas exposições temporárias. O Galpão, espaço de 1.500 m² para montagem de obras de grandes dimensões, recebe a videoinstalação I Am Not Me, the Horse Is Not Mine, 2008, do sul-africano William Kentridge, referência nas relações entre desenho e imagem em movimento. Já a mostra itinerante “Do Objeto para o Mundo – Coleção Inhotim”, vista até agora por mais de 100 mil pessoas em Belo Horizonte e São Paulo, passa a ser apresentada na Galeria Fonte. As novidades são celebradas com o show da banda Bixiga 70, que acontece às 15h do mesmo dia, no Palco Magic Square.

Desde sua abertura, em 2006, o Inhotim inaugura anualmente exposições temporárias, que tem duração média de dois anos. “É uma oportunidade de mostrar ao público uma parte da coleção que não conseguimos expor permanentemente”, explica o diretor artístico do Instituto, Rodrigo Moura. Atualmente a coleção do Instituto possui cerca de 800 obras, criadas desde os anos 1940 até os dias de hoje.

 William Kentridge
Nascido em Johanesburgo, na África do Sul, William Kentridge tem desenvolvido um influente trabalho como artista visual, misturando filme, teatro, desenho e stop motion associados ao seu sutil olhar crítico. Kentridge cresceu em uma família de judeus liberais em meio ao regime de segregação racial do Apartheid, vigente entre 1948 e 1994. As obras do artista refletem os desequilíbrios da sociedade sul-africana e a ambiguidade de sua própria origem. Em 2013, uma mostra itinerante dedicada à sua produção passou por Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

No Brasil, I Am Not Me, the Horse Is Not Mine, 2008, é exibida pela primeira vez no Inhotim. Composta por oito projeções monumentais, exibidas simultaneamente e em loop contínuo, a obra surgiu enquanto o artista produzia sua versão da ópera O Nariz, de Dmitri Shostakovich, para a Metropolitan Opera, em Nova York. A peça é baseada no conto homônimo de Nikolai Gogol, sátira ao período dos czares e crítica à hierarquia social em que o nariz de um oficial foge de seu rosto e assume uma patente superior à dele.

 Do Objeto para o Mundo – Coleção Inhotim
Após temporadas na Fundação Clóvis Salgado, em Belo Horizonte, e no Itaú Cultural, em São Paulo, a exposição “Do Objeto para o Mundo – Coleção Inhotim” traz ao público do Parque uma seleção de trabalhos de artistas brasileiros e internacionais de diversas gerações, nunca antes apresentada no Inhotim. A versão que inaugura, concentra-se exclusivamente no grupo de obras históricas da mostra, colocadas em diálogo com outras, mais recentes.

 “Do Objeto para o Mundo surgiu da ideia de falar da genealogia da coleção do Inhotim. Por isso, faz total sentido trazê-la para dentro do Instituto. Nas outras montagens, havia um núcleo histórico e obras-satélites, de maior escala, que traziam a atmosfera do Parque para o espaço expositivo. No Inhotim, as instalações permanentes cumprem esse papel, propondo um diálogo”, completa Moura. Ao passar pela mostra, o visitante vai poder conferir outros trabalhos de artistas exibidos de forma perene no Parque, como Cildo Meireles, Chris Burden, Hélio Oiticica e Lygia Pape.

 Mais densa e focada em obras de época, a montagem no Instituto também inclui peças inéditas nas edições anteriores, dos artistas Cildo Meireles (Inserções em circuitos ideológicos: Projeto Coca-Cola, 1970), Gordon Matta-Clark (Coat Closet, 1973), Hitoshi Nomura (Tardiology, 1968-1969), Jir? Takamatsu (Photographs of photographs, 1973), Marcel Broodthaers (Lettre ouverte, 1968-1970) Paul McCarthy (Rocky, 1976) e Robert Morris (Untitled, 1965-71).

 As novas exposições foram viabilizadas pelo Banco Itaú, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Comemoração com Bixiga 70
A inauguração será marcada pelo show da banda Bixiga 70, que lança seu terceiro álbum, Bixiga 70 III. O grupo, formado em 2010 no bairro do Bixiga, em São Paulo, tem influência de ritmos dançantes afro-brasileiros, passando pelo samba-jazz, reggae, dub, cumbia, carimbó e ethio-jazz. A apresentação acontece às 15h, no Palco Magic Square, e faz parte do projeto Inhotim em Cena, que tem apresentação dos Correios, patrocínio da Pirelli e apoio da Wals.

Quando? 1º de outubro
Onde?  Galpão: I Am Not Me, the Horse Is Not Mine, 2008 – William Kentridge;
Galeria Fonte: “Do Objeto para o Mundo – Coleção Inhotim”



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +