Leitura: 4 min

As plantas que vivem nas águas do Inhotim

As plantas que vivem nas águas do Inhotim

As macrófitas, popularmente conhecidas como plantas aquáticas, têm importantes propriedades no funcionamento do ecossistema. Aqui no Inhotim, elas podem ser vistas principalmente no Jardim Veredas e na Estufa Equatorial. Uma importante característica das macrófitas é a ligação que elas estabelecem entre o sistema aquático e os ambientes terrestres que as cercam. Além de serem fonte de alimento para muitos peixes, elas fazem parte da alimentação de mamíferos que gostam de ficar em ambientes úmidos, como as capivaras. Essas plantas são abrigo para pequenos animais que vivem na água. Conheça um pouco mais sobre a alface-d’água, a aguapé e a orelha-de-onça, plantas que crescem nas águas do Inhotim:

– A alface-d’água (Pistia stratiotes) é uma espécie encontrada em rios e lagoas ricas em matéria orgânica. Ela vegeta em todo tipo de água doce, seja pura, barrenta, poluída ou parada. Essa espécie ocorre nos biomas de Floresta Amazônica, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal. Outra propriedade da Pistia é seu uso como removedor de óleos e graxas de tecidos. Para usá-la dessa forma, é preciso deixar a planta alguns dias dentro de um balde com água, para liberarem o princípio acre, e depois esfregá-las no tecido. As raízes, após cozidas, também constituem uma boa forragem para porcos. Aqui no Inhotim, elas compõem a bonita paisagem do Jardim Veredas.

A alface- d´água pode ser vista no Jardim Veredas. Foto: William Gomes.

A alface- d´água pode ser vista no Jardim Veredas. Foto: William Gomes.

– A aguapé (Eichhornea azurea) é uma planta aquática fixa nativa e com ampla distribuição em território brasileiro. É comum vê-la formando um tapete verde no espelho d’água dos lugares onde habita, proporcionando a proliferação de uma grande quantidade de invertebrados. Uma de suas principais vantagens é agir como um filtro natural, já que é capaz de incorporar em seus tecidos uma grande quantidade de nutrientes que atuam sobre as moléculas tóxicas de águas poluídas, conseguindo absorver até mesmo metais pesados, como mercúrio, cádmio e níquel. Aqui no Inhotim, elas são cultivadas na Estufa Equatorial e no Jardim Veredas.

20171603_Gerais_ William Gomes-1039

A aguapé é cultivada também na Estufa Equatorial do Inhotim. Foto: William Gomes.

– A orelha-de-onça (Salvinia auriculata) é uma planta aquática flutuante livre muito utilizada para a purificação e oxigenação da água. Além disso, contribui como lugar de desova, abrigo e hábitat para organismos aquáticos e como alimento de capivara, insetos, caramujos, aves e peixes. Onde há essa plantinha, há boa qualidade de água. Você pode ver de perto a orelha-de-onça no pequeno lago do Jardim Veredas e no cultivo da Estufa Equatorial do Inhotim.

aquaticas (1)

A orelha-de-onça é uma planta muito usada na purificação de águas poluídas. Foto: Willy Silva



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +